5º Festival de Cinema Cristão consagra “Quando o Sol se Pôr”

O longa-metragem é uma comédia teen protagonizada por Priscilla Alcantara e Filipe Lancaster
Equipe do filme “Quando o Sol se Pôr”, que venceu em seis categorias, incluindo a de “Melhor Direção e Longa”

Por Rafael Ramos

O longa-metragem, destaque na 5ª edição do Festival de Cinema Cristão, é uma comédia teen protagonizada por Priscilla Alcantara e Filipe Lancaster

Com o intuito de promover cada vez mais o cinema cristão, principalmente as produções nacionais, e fomentar valores em meio à sociedade, o Festival de Cinema Cristão (FICC) realizou sua quinta edição no feriado de 15 de novembro, pela primeira vez na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, e com entrada franca para o público.

O evento visa promover o cinema cristão, principalmente as produções nacionais
André Segatti, mestre de cerimônia do V Festival de Cinema Cristão

Contando com o ator André Segatti como um dos mestres de cerimônia, a questão de promover valores primordiais entre a sociedade foi o tema principal da noite. De acordo com Segatti, o cinema cristão é um segmento que pode transformar a vida das pessoas.

“O cinema fomenta valores que ficaram no meio do caminho e o cinema tem essa função de levar, implementar e resgatar valores que são muito importantes para a sociedade”.

O evento visa promover o cinema cristão, principalmente as produções nacionais
Aurora Bello, jornalista e mestre de cerimônia do V Festival de Cinema Cristã

Sua companheira na função de conduzir grande parte da premiação, a jornalista Aurora Bello, também apoia que essas obras sejam cada vez mais valorizadas não só pela igreja, mas por toda a sociedade.

“Nossa sociedade tem vivido dias muito difíceis e é muito importante que esses valores resgatados através do cinema cristão sejam cada vez mais fomentados e alcancem cada vez mais pessoas. São esses princípios que Jesus nos ensinou que podem resgatar o nosso planeta do que o homem tem feito”.

 

Destaques da noite

Com 176 obras inscritas, a edição do evento idealizado por Veronica Brenlder consagrou o filme “Quando o Sol se Pôr”, que venceu em seis categorias, incluindo a de “Melhor Direção e Longa” de acordo com o júri especializado.

Fabio Faria, diretor de Quando o Sol se Pôr

Dirigido por Fábio Faria, do Grupo Red Films e responsável pela produção “Um Lugar pra Ser Feliz”, que foi vencedora do festival em 2016, o filme é uma comédia romântica teen estrelada pelos cantores Priscilla Alcantara e Filipe Lancaster. “Estamos em um período em que nosso país e a igreja estão passando por uma história muito complicada e, através do cinema, a gente pode mudar histórias e levantar a bandeira pra fomentar valores dentro da nossa igreja e da sociedade e tenho tentado fazer minha parte. Se o diretor da arte é o nosso Senhor, agradeço a Ele por ter confiado esse ‘trem’ a nós”, declarou o diretor.

Outro destaque da noite foi o filme “A Ovelha e o Dragão”, adaptação do romance cristão escrito pela pastora Renata Martins narrando o amor entre um satanista e a filha de um pastor. Dirigido por Fabrício Bittencourt, o longa recebeu oito indicações sendo premiado na categoria de “Melhor Ator”, concedida a Aldebaran Bastos. “É preciso valorizar sempre a arte do ator, pois é isso que move o cinema e quero dividir esse prêmio com os outros dois indicados e a toda equipe”, disse o ator, que concorreu com Filipe Lancaster (Quando o Sol se Pôr) e Luís Fernando Irgang (Cromossomo 21).

O filme “Cromossomo 21”, que debate de forma bem peculiar acerca dos portadores de Síndrome de Down, venceu em três categorias: “Melhor Atriz”, para a protagonista Adriele Pelentir, “Filme Sócio-Ambiental”, para produções que tratam de temas recorrentes à sociedade e focam em questões de cunho social, e ainda foi eleito pelo voto popular como “Melhor Longa Metragem”. A produção que estreia nos cinemas em 30 de novembro de 2017 é dirigida, produzida e roteirizada por Alex Duarte.

A noite também premiou o filme “Você Acredita?” como “Melhor Filme Estrangeiro”. Distribuído no Brasil pela 360WayUp, a estatueta foi recebida pelo CEO da empresa, Ygor Siqueira, um dos pioneiros na expansão do cinema cristão no Brasil. “Deus tem aberto muitas portas e eu quero ser uma peça estratégica do Senhor para fazer coisas grandes e é isso que tem acontecido. Quando um filme cristão é lançado nos cinemas, nossa obrigação como cristão é apoiar e, em 2018, teremos cinco filmes cristãos ainda no primeiro semestre”, discursou Ygor, que também recebeu o prêmio de “Melhor Distribuidora” pelo trabalho realizado.

Além dos longa-metragens, o 5º Festival de Cinema Cristão abriu espaço para filmes de média e curta metragem e também para produções de um minuto e clipes musicais e, de acordo com a idealizadora Veronica Brendler, já está prevista a categoria de “Filme Esportivo” para a edição do próximo ano. Então, confira a seguir os vencedores desse ano:


VOTO DO JÚRI ESPECIALIZADO:

Melhor figurino: Quando o Sol se Pôr
Melhor atriz: Adriele Pelentir (Cromossomo 21)
Melhor trilha/música: Quando o Sol se Pôr
Melhor ator: Aldebaran Bastos (A Ovelha e o Dragão)
Produção de Minuto: O Segundo Mandamento
Média metragem: O Resgate – Salvação ao Extremo
Curta metragem: Encontro com Jesus
Melhor série: Correntes
Melhor documentário: Analfabetismo Gospel
Melhor animação: 3 Palavrinhas – Volume 1
Melhor roteiro de longa metragem: Quando o Sol se Pôr
Melhor fotografia de longa metragem: Quando o Sol se Pôr
Ficção: Escolhas
Filme sócio-ambiental: Cromossomo 21
Teen: Eu Vou te Esperar
Clipe musical: Te Amei (Chris Durán)
Melhor filme evangelístico: O Resgate – Salvação ao Extremo
Direção de arte de longa metragem: Quando o Sol se Pôr
Melhor direção e longa: Quando o Sol se Pôr
Melhor filme estrangeiro: Você Acredita?

VOTO POPULAR

Longa metragem: Cromossomo 21
Média metragem: O Resgate – Salvação ao Extremo
Curta metragem: Piscina de Caíque
Série: Eu Vou te Esperar
Documentário: Inflamados pelo Amor
Animação: 3 Palavrinhas – Volume 2
Produção de Minuto: O Segundo Mandamento


CONFIRA A GALERIA DE FOTOS: