26 C
Vitória
quarta-feira, 6 julho 2022

Fernanda Brum: a pregadora que canta

Talentosa, com uma bela voz grave, de estilo próprio e muita personalidade! A trajetória de uma das cantoras mais populares do segmento gospel do Brasil

Por Priscilla Cerqueira

Talentosa e com uma bela voz grave, que exprime seu estilo próprio e muita personalidade.
Uma das cantoras mais populares do segmento gospel no Brasil. Referência no mercado fonográfico brasileiro, que traz para o canto uma mescla de estilos: adoração, pop e até rock. Esse nome é Fernanda Brum, a pregadora que canta.

Um ministério que começou aos 17 anos. Primeiro veio o dom da Palavra. Fernanda pregava o evangelho de porta em porta, chamava os colegas do condomínio onde morava para os pequenos cultos que promovia em sua casa. “Até então eu não sabia que Deus iria me usar na música, pois como eu já tinha sido cantora secular, Jesus não iria querer me usar”, conta. Mas algo aconteceu.

Fernanda continuou pregando, mas a música desabrochou! “Eu pregava, mas quando pegava o violão para tocar as pessoas paravam mais para ver e me ouvir. Então a música virou uma isca para a pregação. E desde então não parei mais”, relata. Mãe de Isaac e de laura, Fernanda também é pastora ao lado do esposo, o produtor musical e pastor Emerson Pinheiro, no Ministério Profetizando às Nações, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

Ascensão e emoção musical

Após mais de 25 anos como integrante do cast de sua antiga gravadora, A mk Music, Fernanda iniciou uma nova trajetória em sua carreira. Em julho do ano passado assinou com a Sony Music. Na época ela declarou: “É um vôo diferenciado na minha carreira. Sou grata a antiga casa, mas ainda tenho muitos sonhos. Estou motivada e feliz porque sei que tenho condições de levar minha mensagem às nações que ainda não consegui chegar”.

Três meses depois, fez sua estreia na gravadora de tirar o fôlego ao lançar a canção “Ar”, que relatou uma experiência pessoal de vida ao passar pela covid-19. Composta pelo marido, o produtor Emerson Pinheiro, o clipe mostrou um lado humanitário da cantora.

“Essa música foi composta durante quarentena, eu tinha pego covid e fiquei com 25% dos pulmões comprometidos pela doença. O vírus estava atacando não só o físico, como também o emocional e o espiritual das pessoas. A música veio como uma cura para levantar os ânimos e nos fazer respirar os ares do Espírito Santo, me dando motivação para continuar a compor e realizar outros projetos”, contou Fernanda.

Desde então, a criatividade tem sido sua marca. Por conta de sua inquietação e incasável busca pelo “algo a mais”, ela está sempre inovando em seus lançamentos. Mesmo com toda experiência e história musical, a cantora vem apresentando projetos audaciosos, unindo música e teatro em cenas inspiradoras e emocionantes. Fernanda vem se reinventando e trilhando novas propostas artísticas, inovando e acompanhando as tendências de mercado.

Tanto que lançou esse ano, outros clipes que a renderam bons números no Youtube. Os singles “Pra onde a gente vai?”, “Quando eu chegar lá”, “Toda morte vencida gera vida” e “Escreve”. Todos com uma palavra de cura, libertação, renovo, esperança e despertamento.

Um crescimento constante e grande repercussão no mercado! A artista explica que eles nascem quando ela coloca voz na canção ou quando está compondo. Mas o mais importante, segundo ela, é que a mensagem seja compreendida. “Os clipes são visões espirituais, é como se eu estivesse cantando a música e assistindo o que vocês assistem depois. Prefiro fazer o que é verdadeiro. Faço da minha vida a minha trilha”, explicou a artista.

“Foi tudo tão rápido o que Deus fez que em dois anos já no ministério, estava com um disco gravado. O Senhor foi me ensinando como me comunicar com o público através da música, é por isso que uso a arte”

Uma carreira de respeito

Quando despontou na música gospel, nos anos 90, ela não fazia ideia de que se tornaria uma das cantoras mais populares do segmento cristão. Para isso acontecer, tomou uma decisão que mudaria sua vida. Primeiro foi de romper o vínculo com o mundo.
“Além de cantar música secular, era modelo, fazia fotos e desfiles, minha agenda era lotada. Mas cancelei os compromissos e joguei tudo fora, pois, decidi que iria ficar com Jesus para sempre”, disse. Depois da conversão começou a contar para as pessoas o plano de salvação para o mundo e em seguida, o ministério musical.

“Foi tudo tão rápido o que Deus fez que, em dois anos já no ministério, estava com um disco gravado. O Senhor foi me ensinando como me comunicar com o público através da música, é por isso que uso a arte”, relatou. Desde então a artista só vem crescendo no mercado gospel.

Com 4 indicações ao Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa, a cantora conquistou a premiação nos anos de 2015 e 2018, com dois álbuns que marcaram sua carreira: “Da Eternidade” e “Som da minha vida”, que traz uma retrospectiva de sua carreira artística.

Também venceu o Troféu Promessas, da Rede Globo como Melhor Clipe – “Pavão Pavãozinho” (2011), e Melhor Cantora (2012 e 2013). Além disso, seus números no streaming e nas redes sociais são grandes. No Instagram, acumula cerca 4 milhões de seguidores. No Facebook, sua fanpage tem mais de 7 milhões de fãs e no Youtube, seu canal conta com mais de 625 mil inscritos.

Mais projetos

Pensa que acabou? Fernanda está mais acesa do que nunca. Com esse tempo todo de estrada, tantas conquistas e sucesso, ainda quer ir mais longe. O que não falta é sonhos.
“Ainda tenho muitas metas e sonhos para serem alcançados. Vou colocando na minha listinha e orando a Deus, e aquilo que Ele quer para minha vida, os sonhos se realizam. Então coloque o cinto de segurança porque ainda tem muita coisa boa vindo por aí. Tenho muita coisa para fazer, gravar e escrever. Podem esperar de mim uma pessoa ainda mais criativa”, disse.

Mas com muito trabalho para alcançar vidas para Cristo. É o que move a cantora a ir adiante. “O sucesso é resultado de um trabalho sério. E eu trabalho muito duro para que eu tenha sucesso na minha missão, que é engrandecer e levar o nome do Senhor Jesus para quantos eu puder alcançar através da minha arte”, concluiu.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se