Famílias Monoparentais

Por Dinart Barradas

Quando o assunto é família monoparental, a impresssão que temos é que a Bíblia não tem muito a dizer. Puro engano! Ela é cheia de relatos, seja por viuvez, abandono ou qualquer outro motivo, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento. Viúva aos 25 anos de idade e com dois filhos para criar, minha mãe lutou por nossa família passando todo tipo de sacrifício e dor. Tendo experimentado na carne e na alma o que é viver em uma família monoparental, posso afirmar que as Escrituras têm a ajuda de que muitos nessa situação necessitam.

A primeira família monoparental registrada na Bíblia é a de Agar e seu filho Ismael. Abraão, não podendo gerar um filho com Sara, fez de sua escrava a mãe de seu filho (Gênesis 16.15). Essa história traz semelhanças com muitas famílias de nossos dias, tendo em sua raiz as seguintes motivações:

• Aspirações legítimas – Como Abrãao, muitos desejam ter filhos, e a Bíblia diz que eles são herança do Senhor e que é felicidade ter vários deles. Salmo 127:3 diz: Eis que os filhos são herança do SENHOR e o fruto do ventre o seu galardão. Em I Samuel 1:11,  Ana ora a Deus: Se atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, e lhe deres um filho varão, ao SENHOR o darei por todos os dias da sua vida.

• Aspirações egoístas, disputas ou ciúmes – I Samuel 1.6: A sua rival a provocava excessivamente para a irritar. Gênesis 30:1 e 8: Vendo Raquel que não dava filhos a Jacó, teve ciúmes de sua irmã e disse a Jacó: Dá-me filhos, senão morrerei. Disse Raquel: Com grandes lutas tenho competido com minha irmã e logrei prevalecer.Agar, após ter gerado Ismael, adotou uma postura errada em relação a Sara. A situação ficou tão crítica que ela fugiu durante a gravidez e, mais tarde, foi enviada por Abraão para o deserto com pouca coisa em mãos, presságio de morte para ela e seu filho. Nesse episódio há lições que são de grande ajuda para quem, à frente de uma família monoparental, enfrenta lutas e dificuldades:

• Não estamos sós nem mesmo em nossas fugas

 Gênesis 16.7: Tendo-a achado o Anjo do SENHOR junto a uma fonte de água no deserto.

• Precisamos aprender a fazer o caminho de volta

Gênesis 16.9: Então, lhe disse o Anjo do SENHOR: Volta para a tua senhora.

• Humilhar-se é um bom meio de começar uma nova história

Gênesis 16.9: E humilha-te sob suas mãos.

• Não se desespere quando faltarem recursos Gênesis 21.15 e 16: Tendo-se acabado a água do odre, colocou o menino debaixo de um dos arbustos, afastou-se porque dizia: Assim, não verei morrer o menino; e, sentando-se em frente dele, levantou a voz e chorou.

• A mesma ajuda do passado ainda está em nosso derredor

Gênesis 21.17: o Anjo de Deus chamou do céu a Agar e lhe disse: Que tens, Agar?

• O choro de uma criança desamparada é como uma oração diante de Deus
Gênesis 21.17: Deus, porém, ouviu a voz do menino; e lhe disse: Não temas, porque Deus ouviu a voz do menino, daí onde está.

• Tenha bom ânimo e evite a prostração

Gênesis 21.18: Ergue-te, levanta o rapaz e segura-o pela mão.

• Confie na provisão e no futuro que Deus tem para Seus filhos

Gênesis 21.18 a 20: Abrindo-lhe Deus os olhos, viu ela um poço de água, e, indo a ele, encheu de água o odre, e deu de beber ao rapaz. Porque eu farei dele um grande povo. Deus estava com o rapaz, que cresceu, habitou no deserto e se tornou flecheiro.

• Eles podem se casar e constituírem sua própria família

Gênesis 21.21: Habitou no deserto de Parã, e sua mãe o casou com uma mulher da terra do Egito.

Receba de Deus o encorajamento e a graça necessários para conduzir sua família na presença dEle e confiar em Suas promessas para você e os seus (Jeremias 29:11).

Dinart Barradas é diretor nacional do Growing Families Internacional e há mais de 20 anos atua na estruturação e na restauração de famílias.

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!