22.7 C
Vitória
quarta-feira, 29 junho 2022

Até onde hábitos de comunicação virtuais são saudáveis na família?

Foto: Reprodução

Segundo a pesquisa sobre o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nos Domicílios brasileiros (TIC Domicílios) 2021 o acesso à internet cresceu para 87% 

Por Victor Rodrigues

Em decorrência da pandemia da covid-19 o aumento de consumo das redes sociais cresceu. Dessa forma, inúmeros serviços de aplicativo, plataformas de streaming, trabalho ‘home office’ e outros, ganharam protagonismo. 

 Logo, o avanço das novas tecnologias estão impactando as vidas das pessoas e também o cotidiano familiar. 

A proporção de domicílios brasileiros com acesso à internet cresceu entre 2019 e 2021. Segundo a pesquisa sobre o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nos Domicílios brasileiros (TIC Domicílios) 2021, divulgada nesta terça-feira (21), pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), o percentual subiu de 71% para 82% no período de dois anos. 

A pesquisa também aponta que a quantidade de usuários que acessam a rede mundial de computadores aumentou 7% entre 2019 e 2021, passando de 74% para 81% dos entrevistados. Aumento associado à popularização dos smartphones em todo o mundo.

A relação entre as pessoas e as tecnologias é muito complexa e as fronteiras entre o mundo real e virtual estão cada vez mais indefinidas. 

Tecnologia e saúde da família 

De acordo com o Grupo de Estudos sobre Adições Tecnológicas (GEAT), que surgiu em 2006 com o objetivo de compreender a necessidade do uso crescente da internet e dos jogos eletrônicos em relação a saúde mental dos jovens e adolescentes, algumas ações são necessárias para preservar a saúde da família.

Em primeiro lugar, proximidade são fundamentais para uma boa relação entre pais e filhos. Por isso é sempre importante para os pais “demonstrar interesse” e “conhecer aquilo que o seu filho usa”, buscando motivações que o levam a fazer uso determinado aplicativo ou rede social. 

Logo, os filhos aprendem presenciando o comportamento dos pais. Dessa forma, “a importância do exemplo” e “regras e limites”, são essenciais na rotina das crianças desde cedo para uma convivência saudável. 

A tarefa acaba se tornando muito mais difícil quando as inúmeras ofertas das tecnologias “chamam” cada um para seu quarto. Por isso é papel dos pais “estimular a convivência familiar”, reservando tempo durante a semana para “fazer refeições juntos”. 

Preocupações com “a hora de dormir” e cuidado com o “sedentarismo e a alimentação”, devem ser sempre destacadas. A internet pode ser utilizada para fazer pesquisas de hábitos e alimentações saudáveis. 

Em conclusão, é sempre importante o diálogo principalmente entre pais e filhos, onde “como lidar com a violência dos jogos” e “a questão da privacidade”, se torna importante conversar sobre o que deve ou não ser compartilhado, quando, como e com quem. 

*Com informações da Agência Brasil e do Dependência de Tecnologia 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se