Família não é prioridade para jovens, diz estudo

Prioridade da geração que tem hoje entre 24 anos e 38 anos é ter independência e estabilidade financeira. “Não há dúvida de que a família é nossa segunda prioridade”, diz pastor Luciano Subirá

Formar uma família não é prioridade para a maior parte da juventude, entre 24 e 38 anos. O objetivo de vida é menos importante até do que atividades de lazer, como viagens. É o que mostra um estudo da consultoria americana Spectrem.

Mais jovens estão abandonando a igreja. Saiba mais!

O levantamento foi feito com millenials de alta renda, que ganham ao menos 100 mil dólares por ano. Considerando a idade atual da geração, a maioria saiu da universidade há bastante tempo e tem uma carreira consolidada.

De forma similar a outras gerações, quando questionados sobre como definem uma vida bem-sucedida os entrevistados citam primeiro independência (70%) e estabilidade financeira (68%). Em seguida vem a possibilidade de se aposentar quando quiser (56%), e se casar ou ter um relacionamento duradouro (54%).

Na quinta posição no ranking está a possibilidade de realizar atividades de lazer, como viagens, que empata com a compra da casa (53%). Em seguida aparece o objetivo de formar uma família (45%), que só não perde para ter segurança no trabalho (40%) e trabalhar em uma área pela qual seja apaixonado (38%).

Família deve ser prioridade 

Segundo o pastor Luciano Subirá, depois de Deus, “não há dúvida de que a família é nossa segunda prioridade. Se alguém negligenciar sua família por causa da igreja, do ministério, ou de qualquer outra coisa, por mais ‘espiritual’ que pareça, estará contra a Palavra de Deus”, disse em uma de suas ministrações pelo site Orvalho.

O pastor reforça que o trabalho vem em terceiro lugar. “O trabalho é uma ordem bíblica. É o meio do homem sustentar sua casa e viver dignamente. Além disso, por meio do seu ganho ele também poderá servir ao reino de Deus e ao necessitado”, afirmou.


leia mais

Pais e igrejas na batalha pela castidade da juventude