20 C
Vitória
segunda-feira, 25 maio, 2020

Ashty Bahro: “extinção do cristianismo” na Síria

- Continua após a publicidade -

Mais lidas

Morreu de covid-19, pastor que afirmava curar a doença

Pastor Frankline Ndifor, de Camarões, morreu de covid-19 uma semana depois de começar a apresentar sintomas da doença. Ele vinha pregando ter o poder de cura da nova doença, por intermédio de orações

Ciclone Amphan atinge Bangladesh e Índia durante quarentena

Como se não bastasse o coronavírus, cristãos locais ainda enfrentam, o ciclone. Eles pedem oração e relatam a situação na região afetada pelo fenômeno natural

América do Sul é novo epicentro mundial da pandemia

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o Brasil é o país mais afetado da América do Sul com a covid-19

Pará: pastores pedem volta de cultos presenciais

Reunião ocorre no dia do anúncio do governo de que o lockdown (bloqueio total) não será mantido na região metropolitana de Belém, após o domingo (24)

Cristãos da Síria advertem que retirada militar da região curda anunciada pelo presidente Donald Trump, vai expô-los ao perigo

No último domingo dia (6) o presidente norte-americano Donald Trump anunciou a retirada de tropas americanas da Síria. De acordo com cristãos sírios, retirada militar da região curda vai expô-los ao perigo.

Segundo Joseph Kassab, presidente do Conselho Supremo da Comunidade Evangélica Síria e no Líbano isso é uma tragédia. “A esperada invasão militar e o possível confronto com os curdos podem obrigar os cristãos da região a sair”, declara. Além disso, Joseph revelou que “Isso significa mais uma tragédia para a presença cristã na Síria”.

O presidente Trump buscando honrar uma promessa de campanha e acabar com a “guerra sem fim”, cedeu a demanda da Turquia em estabelecer uma “zona segura” ao longo da fronteira do sul com a Síria. Assim, os Estados Unidos administravam desde agosto do ano passado uma patrulha conjunta com a Turquia na área.

OBJETIVOS TURCOS

A Turquia tem dois objetivos. Em primeiro lugar, reinstalar 2 milhões de refugiados Sírios atualmente residentes na Turquia. Em segundo lugar, limpar a fronteira dos combatentes curdos ligados ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), considerados terroristas.

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, em Ancara, capital do país, ameaçou no mês passado reassentar refugiados sírios em uma área de 32 quilômetros na fronteira entre os países.

O número de Curdos localizados na Turquia, Síria, Iraque e Irã é de aproximadamente 30 milhões. Eles são considerados os mais “apátridas” do mundo, embora no Iraque a constituição reconheça a autonomia territorial do Curdistão.

ALIANÇA EVANGÉLICA NO CURDISTÃO

Segundo ex-diretor da Aliança Evangélica no Curdistão, no Iraque, Ashty Bahro, “É muito possível que a retirada americana da região leve à extinção do cristianismo da região”, revelou.

Além disso, o ex-diretor afirmou “como outro país entra no pretexto da libertação do terrorismo? O alvo será apenas terrorismo ou “pessoas indesejáveis”? Sair da área sem os devidos cuidados levará a outro desastre”, completa.

Mais de 700.000 cristãos fugiram da Síria desde 2011. E enquanto alguns alertam para mais deslocamentos, outros temem uma ameaça maior. Segundo um componente cristão das Forças de Defesa da Síria (SDF), “a Turquia pretende nos matar e destruir e acabar com o genocídio contra o nosso povo”, destaca e complementa “esperamos e rezamos para que, ao defender o mundo contra o ISIS, o mundo não nos abandone agora”, finaliza.

Além disso o co-presidente do Partido da União Síriaca, Sanharib Barsoum, afirmou “o regime turco é baseado em grupos extremistas e radicais armados que cometem crimes contra civis e humanidade”. Assim complementou “Tais ameaças colocam em risco a vida das pessoas siríacas na região”, conclui.

CASA BRANCA

As vozes cristãs também desejam preservar a paz única alcançada entre curdos, árabes e cristãos. Desde 2014, uma carta social garante governança democrática, direitos da mulher e liberdade de culto.

A cidade de Kobani na fronteira com a Turquia abriga uma igreja de irmãos composta por convertidos do Islã. Cerca de 20 famílias adoram lá e o pastor da igreja, Zani Bakr, chegou no ano passado de Afrin, deslocado por uma incursão turca anterior.

Segundo disse Bassam Ishak, co-presidente da Representação do Conselho Democrático da Síria nos EUA, “por favor, busque a Deus, peça a Deus antes de tomar sua decisão, para que o cristianismo não seja erradicado da Síria e da histórica Mesopotâmia”, disse Bassam ao presidente Donald Trump.

Ademas afirmou, “não queremos um país onde a cidadania e os direitos sejam baseados em identidades étnicas ou religiosas. Queremos que todos os sírios sejam iguais”, concluiu Bassam em fevereiro deste ano.

O consultor evangélico da Casa Branca,Tony Perkins, twittou em oposição à decisão de Trump. “Colocaria em risco as perspectivas de verdadeira liberdade religiosa no Oriente Médio”, escreveu.

Antes de mais nada, o vice-presidente de assuntos políticos e governamentais do EUA também afirmou sua preocupação. “Nossa retirada não apenas desestabilizará a região, ”Ele disse,“ mas … sinaliza ao mundo que não nos importamos com a liberdade religiosa que eles construíram ”.

A Comissão bipartidária dos EUA para a Liberdade Religiosa Internacional também twittou sua “profunda preocupação”. Trump respondeu às críticas citando sua “grande e inigualável sabedoria”, alertando que se a Turquia fizer algo fora dos limites, ele destruirá novamente sua economia.

COMUNIDADE INTERNACIONAL

Em defesa dos cristãos, uma organização apartidária comprometida com a preservação e proteção dos cristãos no Oriente Médio também expressou preocupação. Entretanto, foi encorajada pela “ameaça” de Trump.

A comunidade internacional não deu apoio ao plano turco de reinstalar refugiados sírios. As Nações Unidas insistem primeiro em um acordo político abrangente e no retorno dos refugiados aos seus locais originais.

Da mesma forma, para Kassab, com sede em Beirute e supervisionando comunidades evangélicas na Síria e no Líbano, a integridade territorial é vital. “O governo dos EUA finalmente decidiu deixar os curdos nas mãos dos turcos”, disse ele. “Mas a Síria deve ser deixada nas mãos dos sírios, e uma ação concertada da comunidade internacional é a única maneira de acabar com essa guerra feia”.

*Da redação, com informações de Christinity Today 


LEIA MAIS

Guerra na Síria completa 8 anos
O avivamento do cristianismo na Síria 

- Continua após a publicidade -

Revista Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Fé e ciência em tempos de pandemia

Cientistas cristãos respondem questões de fé e ciência em tempos de pandemia. Uma mini Conferência online será realizada entre os dias 26 a 28 de maio sobre o assunto

Festival “VillaMix Em Casa Gospel”

O festival “VillaMix Em Casa Gospel” será dia 30 de maio, com transmissões no YouTube e Facebook. Ana Paula Valadão estão entre as atrações

Live hoje (13): “Formação de discípulos: o que é, por que e como”

Iniciativa da “Década de Fazer Discípulos”, live com David Kornfield terá transmissão, pelos perfis oficiais de Homens Mentores e Mulheres Mentoras

1ª Jornada virtual de estudos em Direito e Religião

A 1ª Jornada virtual de estudos em Direito e Religião será dos dias 12 de maio a 2 de junho. Os pastores Jonas Madureira e Franklin Ferreira estão entre os palestrantes

Receber notícias

Gostaria de receber notícias em primeira mão? Assine gratuitamente agora:

Plugue-se

Nasce uma estrela na música gospel: Gisa Garcia

Convertida à Cristo desde os 8, Gisa Garcia sempre ansiou em trocar o backvocal do funk pelo microfone principal, porém cantando louvores. E agora prepara seu primeiro EP na música gospel

Orquestra virtual de crianças em “Trem das Onze”

O vídeo da Orquestra Virtual, com 23 participantes tocando em suas casas, faz parte de um programa da Secretaria Municipal de Educação do Rio...

Gateway Worship Kids em novo álbum musical

Grupo surpreendeu o público ao lançar o álbum “Todos Mis dias”. Gateway Worship Kids O grupo norte americano Gateway Worship Kids fez o lançamento do...

Quem foi John Wesley e qual lição ele passou?

O livro sobre John Wesley, editado pela Mundo Cristão, apresenta uma introdução detalhada de Paulo Ayres, profundo conhecedor do metodismo