Primeiro-ministro evangélico alerta violência na Etiópia

O primeiro-ministro da Etiópia Abiy Ahmed fala durante sessão com parlamentares em Addis Ababa, em foto de arquivo de 22 de outubro (Foto: TIKSA NEGERI/REUTERS)
O primeiro-ministro da Etiópia Abiy Ahmed fala durante sessão com parlamentares em Addis Ababa, em foto de arquivo de 22 de outubro (Foto: TIKSA NEGERI/REUTERS)

Cerca de três evangelistas foram assassinados na Etiópia segundo uma agência de missões cristã, dentre estes um dentro de uma igreja

O primeiro-ministro da Etiópia e recém-vencedor do Prêmio Nobel da Paz, Abiy Ahmed, disse no domingo (03) que o número de mortos por protestos no mês passado aumentou para 86 e instou os cidadãos a resistir às forças que ameaçam impedir o progresso do país.

“Temos que parar as forças que estão tentando nos puxar dois passos para trás enquanto avançamos”, disse Abiy, em entrevista coletiva com organizações de notícias locais.

Entre os dias 22 e 23 de outubro cerca de 70 pessoas morreram na Etiópia. Nesse ínterim, três evangelistas foram assassinados segundo uma agência de missões cristã. No entanto, um dos três foi assassinado dentro de uma igreja.

De acordo com informações, os manifestantes saíram as ruas na capital do país, Addis Ababa. Assim os protestos tinham como objetivo denunciar as ações do governo, e dar suporte a um líder de oposição Jawar Mohammed.

Além disso, uma igreja em Boreda, Etiópia, denominada Full Gospel foi incendiada. Entretanto, não há informações se a razão dos crimes é religiosa ou étnica.

“Mas o que ele começou é como uma marcha solidária que se tornou rapidamente em violência étnica e ataques estimulados pela religião. A polícia atirou em 13 pessoas e muitos outros foram mortos por pedradas e feridos por grupos rivais”, reportou um informante.

PRIMEIRO MINISTRO EVANGÉLICO

Os protestos violentos iniciaram quando o então primeiro-ministro e ganhador do prêmio Nobel da Paz, Abiy Ahmed, estava em vista à Rússia. Pois o ativista e opositor do governo na Etiópia, Jawar Mohammed, denunciou que estava sendo ameaçado de morte por Ahamed.

De acordo com o ativista, o governo quer eliminá-lo pois retirou o esquema de segurança da casa dele. Entretanto, autoridades negaram a alegação.

Segundo revelou apurou a redação da Comunhão Abiy é o ganhador do Nobel da Paz de 2019. Nesse ínterim, ajudou o país a conseguir reconciliação com a Eritréia, país vizinho do Leste Africano, considerada impossível. Além disso, Ahmed, 43, é o líder mais jovem da África e assumiu o cargo em abril de 2018.

PERSEGUIÇÃO

Uma proeminente igreja cristã do país reclamou da discriminação que os cristãos sofrem dos muçulmanos extremistas. Igualmente declararam que estão impotentes para ajudar e proteger todas as pessoas.

Assim a igreja fez uma vigília na capital da Etiópia em lembrança dos que perderam a vida nos últimos protestos.

Segundo o relatório da Lista Mundial da Perseguição 2019, o período de 1 de novembro de 2017 há 31 de outubro de 2018 foi um dos mais difíceis para os cristãos do país.

Na região somali de Ogaden, um dos nove estados do país, mais de 20 cristãos foram mortos em agosto de 2018, enquanto muitas igrejas foram saqueadas e queimadas, sendo totalmente destruídas.

*Da Redação, com informações de Portas Abertas e G1


LEIA MAIS

Primeiro-ministro evangélico recebe o Nobel da Paz 
Aumenta o número de Cristãos mortos por causa da Fé 
Lista aponta os 50 países que mais perseguem cristãos no mundo