back to top
25.5 C
Vitória
segunda-feira, 27 maio 2024

Evangelismo virtual realmente funciona?

Há relatos de muçulmanos que encontram sites na internet e perguntam sobre Jesus. Foto: Freepik

A prática de pregar o Evangelho pela internet tem sido cada vez mais utilizada, principalmente, para atingir regiões onde é difícil chegar presencialmente.

Por Cristiano Stefenoni

Se levarmos em consideração que mais de 242 milhões de brasileiros têm celular (IBGE) e que 95 milhões usam a internet, seria mais do que esperado que a igreja passasse a investir no evangelismo online. Contudo, a prática ainda gera algumas dúvidas: será que realmente funciona? Não seria algo muito “frio”? É possível torna-lo mais eficiente?

“O evangelismo virtual tem sido de grande valor e utilidade para a igreja hoje, principalmente, em países fechados, onde não se pode pregar pessoalmente o Evangelho”, ressalta o pastor Amauri Oliveira, presidente da Igreja Presbiteriana da Penha (IPP). Ele lembra que quando o apóstolo Paulo esteve em Atenas para pregar, buscou lugares onde o povo estava como praças e teatros. Com a tecnologia, o princípio deveria ser o mesmo.

“A internet hoje seria a praça, a avenida onde as pessoas estão reunidas. Então é importante que a igreja tenha mecanismos para pregar pela internet, que tenha suas redes sociais, seu canal no YouTube, por exemplo. Boa parte das pessoas que acha uma igreja hoje, buscou pela internet”, justifica o pastor.

- Continua após a publicidade -

Sobre a metodologia a ser utilizada, ele dá algumas sugestões: “A forma mais eficaz de evangelismo é o relacionamento, então, pela internet é possível fazer amizade, comunicar o Evangelho, esclarecer as dúvidas, mandando cursos, vídeos”, sugere.

Já o pastor Leonino Barbosa Santiago, mestre em Liderança pela Andrews University, afirma que toda a forma de evangelismo é importante. “O evangelismo funciona em todas as suas formas, ou seja, pessoal, pública, virtual. Assim, as abordagens feitas pelas redes sociais e pelos canais virtuais têm o seu público e alcance, principalmente, com as novas gerações. Então, o evangelismo virtual é atual, dinâmico”, enfatiza.

Entre as possibilidades de usar o evangelismo virtual, o pastor Leonino cita as redes sociais. “É possível fazer uso de podcasts, grupos no WhatsApp, as principais redes sociais, Instagram, Facebook e as demais plataformas de redes sociais, algumas pequenas, outras mundialmente conhecidas, são ambientes virtuais que podem ser utilizados para a Evangelização”, sugere.

Evangelismo virtual rende bons frutos

De acordo com o pastor Luiz Renato Maia, da Missão em Apoio à Igreja Sofredora (MAIS), o evangelismo virtual tem rendido bons frutos. “Há, inclusive, relatos de muçulmanos que encontram sites na internet e perguntam sobre Jesus. Ali inicia o evangelismo virtual. Então, com toda certeza, funciona”, enfatiza.

Além disso, ele lembra que todo cristão, por natureza, deve ser um divulgador do Evangelho, missão essa dada pelo próprio Cristo a cada um de nós. Mas quando o assunto é uma forma mais elaborada de evangelismo pela internet, a participação da igreja é fundamental nesse processo.

“Se for um ministério de evangelismo virtual, acredito que precisa partir da igreja e o membro se envolver. Por exemplo, quanto tempo os jovens gastam em uma internet e o quanto isso poderia ser revertido para a pregação do Evangelho? Então, uma estrutura bem-feita, com a realidade do mundo virtual pode levar a igreja a alcançar milhares de pessoas”, finaliza.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -