26.6 C
Vitória
segunda-feira, 6 dezembro 2021

Evangélicas e católicas dizem não ao feminismo

Evangélicas e católicas se unem para combater o feminismo: “Não é compatível com a fé cristã”

Por Priscilla Cerqueira

É cada vez maior o número de perfis antifeministas nas redes sociais, mulheres cristãs, evangélicas e católicas, que estudaram as principais autoras do movimento feminista e entenderam que os ideias pregados por elas não são compatíveis com o cristianismo.

Esse movimento crescente nas redes está de acordo com a pesquisa realizada pelo Benditas Blog e o Invisible College que mostra que a maioria das cristãs brasileiras não é feminista. Segundo o estudo, 69,13% das cristãs não se consideram feministas, 12,39% são feministas e 18,48% responderam que “talvez” sejam.

Para a pedagoga Vitória Reis, da Zion Church, os valores cristãos se opõem diretamente a questões defendidas pelo movimento feminista ao longo de sua história. A jovem de 24 anos tem usado suas redes sociais para ensinar os cristãos a se posicionarem politicamente.

Para ela há vários pontos defendidos pelo feminismo que os cristãos devem se opor: aborto, a rejeição ao papel da mulher na sociedade, a repulsa a maternidade, o apoio à ideologia de gênero, a depravação sexual, a sexualização das crianças, a repulsa ao casamento, entre outros.

“O feminismo é um movimento ideológico, logo, tem por objetivo defender ideias e não pessoas. É um movimento político e ideológico que visa destruir a família, a mulher e seus valores inatos, a infância e fé cristã através de revolução sexual”, diz Vitória em entrevista ao Tudo Mulher.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se