20.5 C
Vitória
domingo, 29 maio 2022

Evangelho avança entre imigrantes japoneses no Brasil

japoneses
Em diversas localidades, Assaí é conhecida como a "cidade dos japoneses" pela referência de marco histórico da cidade fundada por imigrantes do Japão. Em 2008 a imigração japonesa comemorou 100 anos de sua vinda ao Brasil. Foto: reprodução / pixabay

Mesmo após mais de cem anos, presença de imigrantes ainda é grande na primeira cidade fundada por japoneses no Brasil

Por Marlon Max

A cidade de Assaí (PR) é conhecida como a “cidade japonesa”, pois tem a sua colonização diretamente ligada à comunidade japonesa. Ainda hoje há muitos japoneses no município e os traços orientais estão presentes em boa parte dos moradores. A Missão Nacional Batista contam com a ajuda de missionários — que também são imigrantes — para avançar na pregação do evangelho entre a comunidade japonesa local.

Os missionários Pr. Alexandre Katayama e Alecia Nomura atuam em Assaí, vivendo e compartilhando o evangelho com muitos japoneses. De acordo com os missionários, na região, um grande desafio é a presença do sincretismo religioso.

“Eles professam o catolicismo, mas não deixam de praticar o budismo e outras religiões orientais. Em Assaí, a maioria dos lares japoneses tem o Butsudan — um altar budista onde são feitas rezas budistas e oferenda aos antepassados”, comenta o pastor, lembrando que essa é uma questão profundamente cultural, religiosa e de honra aos familiares.

Pr. Alexandre Katayama e Alecia Nomura. Foto: Missões Nacionais Batista

Segundo a Missão Nacional Batista, na cidade de Assaí, as questões culturais são um desafio. Um morador local, que estava participando de estudos bíblicos, não queria quebrar tradições japonesas e pediu para que os missionários parassem os estudos e não voltassem mais, mesmo assim eles continuaram orando. Uma semana depois, o morador ligou arrependido e pediu para continuar com os estudos.

Quando um japonês se converte ao cristianismo, ele costuma enfrentar muitas dificuldades para ser aceito em sua nova fé. “Em muitos casos, são perseguidos, desprezados e ridicularizados dentro da própria casa”, conta o missionário. Esse é o caso de uma moradora da cidade, que sai escondida para os estudos bíblicos, porque sua família não suporta ouvir sobre Jesus e briga com ela, que continua firme, crendo que Deus vai operar um milagre em sua casa.

O desafio de falar sobre Jesus e seu amor esbarra em muitas questões culturais e tradicionais, própria do povo que fundou a cidade. “Pela graça de Deus, apesar dos grandes desafios para alcançar esse povo, a obra segue avançando, cumprindo a missão de alcançar o povo japonês desta cidade para Cristo. A equipe missionária trabalha em Assaí com hinos, estudos bíblicos e meditações na língua japonesa e sonha em ver cada um dos moradores aceitando Jesus Cristo como Senhor e Salvador”

Com informações Missões Nacionais Batista 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se