23.3 C
Vitória
segunda-feira, 15 agosto 2022

‘Eu ainda escolho Jesus’, diz cristã sob perseguição

mulher
O marido de Monika a abandonou depois que ela teve um encontro com Jesus em Bangladesh -- Foto: reprodução

Para muitos cristãos ex-muçulmanos em Bangladesh, a perseguição começa dentro da própria família

Por Marlon Max

Há 10 anos, Monika conheceu o marido e logo ficou encantada por ele. Eles se casaram quase imediatamente porque estavam muito apaixonados, mas tudo mudou. De acordo com a missão Portas Abertas, após dez anos de casamento, o marido deixou Monika e as três filhas, de nove, quatro e um ano. Ele se casou com outra mulher porque a muçulmana decidiu seguir a Jesus.

A cristã e a família vivem em uma pequena vila no Sudoeste do país. O conflito entre o casal começou há alguns anos, quando Monika decidiu andar com Jesus. Quando o marido soube da fé da esposa, ele ficou muito zangado e tentou impedi-la de frequentar a igreja e participar de atividades com outros irmãos na fé, mas ele não conseguiu persuadi-la. Foi quando ele começou a odiar a cristã ex-muçulmana, relata a missão.

Ele destilava palavras de ódio contra Monika e a culpava por ter apenas filhas e não filhos. O marido dizia: “Você é deficiente. Não pode ter filhos homens e é sua culpa”. Então, a cristã enfrentou abuso físico, emocional e mental. Segundo Portas Abertas, ele começou a bater na esposa na frente das filhas, mas Monika suportou e nunca revidou. Ela orava todos os dias para que o marido um dia mudasse de ideia. Devido ao abuso, Monika sofreu muitos ferimentos por todo o corpo.

Eu ainda escolho Jesus, não o deixarei

A missão Portas Abertas detalha que a raiva do marido nunca desapareceu e ele começou um boato de que Monika e o pastor da igreja estavam em um relacionamento secreto e cometendo adultério. Mas todos sabiam que isso não era verdade, pois o pastor era gentil e generoso com todos na aldeia, não apenas para a congregação que fazia parte. Um dia, o marido da cristã desapareceu e ninguém soube dele por dias, mas um dia ele ligou e disse: “Estou casado com outra mulher e não pretendo voltar para você, mas se você deixar Jesus, eu posso a considerar como minha esposa novamente”.

A resposta de Monika foi: “Eu ainda escolho Jesus. Não posso deixá-lo”. Desde esse dia, a cristã não teve notícias do marido. A cristã nunca trabalhou fora, pois sempre ficou em casa cuidando das filhas. Mas, sem o marido, Monika não tinha renda ou maneira de sustentar a família.

Monika às vezes ficava dias sem comer. Ela e as três filhas tornaram-se pedintes nas ruas da aldeia e tudo que conseguem de dinheiro usam para comprar alimento. Ao ouvir essa história, os parceiros locais da Portas Abertas rapidamente enviaram ajuda alimentar para a família, e também em dois outros momentos durante a crise da covid-19.

Ela também recebeu uma máquina de costura para gerar renda vendendo os itens que ela costura, e não tem necessidade de pedir dinheiro mais. “Sou muito grata por toda ajuda e generosidade dos parceiros. Espero poder trabalhar e dar um futuro para as minhas filhas”, disse Monika. Ela está atualmente vivendo com os pais até se recuperar.

Com informações Portas Abertas

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se