back to top
25.9 C
Vitória
quarta-feira, 19 junho 2024

Estudo: evangélicos mais jovens têm ‘mentalidade global’ sobre doações

dinheiro
Outro objetivo da MP, é reduzir os requisitos para que os rendimentos de títulos, de valores mobiliários ou de fundos de investimento. Foto: Reprodução

“Os líderes não podem alcançar efetivamente o doador de 35 anos com a mesma estratégia que usam para atingir os de 65 anos”, diz pesquisador 

Por Patricia Scott 

O estudo “The Generation Gap: Preferências Evangélicas de Doação” mostra que os doadores mais jovens possuem uma “mentalidade mais global” e uma amplitude de causas que desejam apoiar com seu dinheiro. O levantamento é baseado em informações de mais mil protestantes evangélicos americanos.

A pesquisa, realizada pela Gray Matter Research, em parceria com a agência de comunicação cristã Infinity Concepts, aponta que “há muitas diferenças entre os doadores evangélicos mais jovens. No entanto, o que se destaca ainda mais é como eles são diferentes das gerações mais velhas. Os pesquisadores descobriram que os evangélicos com menos de 40 anos preferem apoiar causas mais amplas de organizações internacionais, ao invés de sua igreja local, como fazem os mais velhos.

Segundo os pesquisadores, os doadores mais jovens são muito menos propensos a se concentrar em sua área local ou até mesmo no trabalho doméstico em geral. “Pelo menos em relação às doações de caridade entre os evangélicos, parece ser verdade que as gerações mais jovens têm uma mentalidade muito mais global do que seus pais ou avós”. Isso significa, de acordo com os estudiosos, uma oportunidade significativa para organizações internacionais, mas também uma preocupação potencial de longo prazo para instituições de caridade locais.

- Continua após a publicidade -

O fundador e presidente da Infinity Concepts, Mark Dreistadt, descreveu os doadores evangélicos mais jovens como únicos. “Os doadores mais jovens têm um foco muito mais internacional”, avaliou, que continuou: “Eles buscam variedade em suas doações. São menos confiantes, mas fazem menos planejamento ou pesquisa. Ao contrário dos doadores mais velhos, os mais jovens são uma mistura de perspectivas em vez de uma forte voz comum. Não apenas isso, mas eles se sentem menos fortes sobre suas perspectivas do que os doadores mais velhos”.

Os dados mostram que os evangélicos mais jovens estão interessados em um escopo mais amplo de causas do que seus pais e avós. “Os doadores mais jovens também parecem valorizar a variedade. Embora o número real de organizações que eles apoiam não seja muito diferente, eles se consideram apoiando uma variedade maior de organizações e causas do que outras”, ressalta o estudo, observando que não está claro se o desejo por variedade muda à medida que as pessoas envelhecem.

No entanto, os pesquisadores dizem que um desejo por maior variedade pode levar a menos lealdade a organizações e causas específicas, menor probabilidade de recrutar sustentadores (ou seja, doadores mensais) e uma maior necessidade de atividades de retenção de doadores. “É concebível que haja doações menores ou menos frequentes se os doadores mais jovens continuarem a querer espalhar suas doações em maior medida do que os doadores mais velhos.”

O presidente da Gray Matter Research, Ron Sellers, disse que muitos ministérios e instituições de caridade que buscam sobreviver precisar fornecer mais diversidade em sua programação. “O que os líderes precisam perceber é que eles não podem alcançar efetivamente o doador de 35 anos com a mesma estratégia que usam para atingir os de 65 anos”.

Com informações The Christian Post 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -