24.9 C
Vitória
quinta-feira, 11 agosto 2022

O registro da Estrela de Belém no céu pela Nasa

estreladebelem
Saturno (em cima) e Júpiter (abaixo), vistos ao pôr-do-sol no estado da Virgínia, EUA. Foto: Bill Ingalls/Nasa

A estrela de Belém é um evento astronômico raro, marcado pelo alinhamento dos planetas Júpiter e Saturno, os maiores do sistema solar

A “Estrela de Belém” – vista pelos reis magos que visitaram Jesus logo após seu nascimento – é um termo que, segundo a ciência, se refere ao alinhamento de dois planetas. Em 2020, após 800 anos, o fenômeno astronômico se repetiu, e a NASA divulgou imagens que mostram a grande conjunção de Júpiter e Saturno.

O início foi no dia 21 de dezembro. O fenômeno vinha sendo anunciado por astrônomos nas últimas semanas, e descrito como um momento histórico. Isso porque a última vez que houve a conjunção dos dois planetas de maneira tão próxima foi 1221. E isso não deverá voltar a ocorrer antes de março de 2080.

Explicação: o fenômeno raro

O astrônomo da Rice University, Patrick Hartigan, explicou que alinhamentos menores entre esses planetas ocorrem a cada 20 anos, mas os planetas aparecerem tão próximos um do outro é algo “excepcionalmente raro”.

Agora, a NASA divulgou imagens do céu noturno mostrando a “grande conjunção” entre Júpiter e Saturno, que a olho nu faz parecer que os dois planetas estão prestes a colidir, levando-os a brilhar intensamente no céu.

Há mais de dois mil anos, os reis magos foram atraídos por esse fenômeno, chamado então de “Estrela de Belém”, e que os guiou durante a noite para encontrarem o menino Jesus.

*Com informações da Nasa

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se