19.2 C
Vitória
terça-feira, 27 julho 2021

Exclusivo! Esposa de pastor preso em Cuba denuncia tratamento desumano

Em carta, Claudia Salazar, esposa de Yarian Sierra, pastor que foi preso durante os protestos em Cuba, relata opressão e abusos aos líderes evangélicos: “até quando teremos que suportar isso?”, declara

Por Priscilla Cerqueira 

Claudia Salazar, esposa do pastor Yarian Sierra, preso com o pastor Yéremi Blanco Ramírez durante as manifestações em Cuba no dia 11 de julho, denunciou por carta o “tratamento desumano” que seu esposo e Blanco receberam “por se manifestarem pacificamente como cidadãos cubanos no protesto”.

Os pastores, tanto jovens como com famílias, pertencem à Associação Misión Bereana , presente na ilha desde os anos 1940, embora o regime a partir de 1959 tenha confiscado as suas propriedades e se negue a reconhecê-las no Registo das Associações.

“Eles não têm direito a sequer uma ligação, nem nos deixam vê-los. Eles violaram os protocolos de saúde. Para passar os medicamentos para o Yéremi, que está se recuperando de uma Covid muito forte, tivemos que procurá-lo até a prescrição médica, porque não nos autorizaram a deixar nenhum medicamento”, escreveu ela na carta, que chegou com exclusividade à Comunhão.

Prisão injusta

pastores presos_Cuba
Pastores Yarian Sierra e Yeremi Blanco estão presos desde o dia 11 de julho. Foto: Reprodução

Salazar destacou que os pastores estão presos por pensar de forma diferente e por expressar o que pensam. “Quem vai julgar os comunistas que saíram para atacar os cidadãos desarmados com paus e armas? Ninguém os julga, quem cometeu crimes, e os outros, por se manifestarem pacificamente e sem armas, sim. Onde está a justiça?”, questionou.

Claudia também destacou que os pastores se dedicaram ao serviço da igreja, ajudando as pessoas. E que não são criminosos.

“Eles são cidadãos cubanos honestos, homens de família, pais amorosos, maridos amorosos, com um testemunho de vida perfeita. Eles não são criminosos ou gente de classe baixa, como os governantes deste país os chamam. São homens de Deus, que pensam diferente, que abominam o comunismo e que saíram para expressá-lo como qualquer ser humano que ele tem o direito de pensar e dizer o que sente”, declarou.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se