24.1 C
Vitória
sábado, 15 maio 2021

O que dizem especialistas sobre vida conjugal à luz da Bíblia

O cuidado com a relação deve ser uma preocupação constante do casal, mas é importante que Deus faça parte dessa união

Por Geila Salomão

Com a correria do dia a dia, os problemas, trabalho, estudos, casa e filhos, os casais acabam não se colocando como prioridade no relacionamento, e acabam esquecidos, em último plano. Muitos buscam maneiras de fazer com que o relacionamento saia da “rotina”; em certos casos isso é bom. No entanto, é preciso que os casais evangélicos tenham discernimento ao inovar na relação.

Existem muitas maneiras de fazer “algo diferente” com seu cônjuge. Se liberar dos filhos em um fim de semana para curtir um passeio a dois, jantar fora ou viajar são algumas das opções. Cada casal deve buscar o que é melhor para ambos. Mas, muitos cristãos têm dúvidas na hora de inovar sobre algumas questões, entre elas se, aos olhos de Deus, é ou não pecado frequentar locais como motéis, assistir a filmes de sexo ou usar fantasias.

O casal Silvia Romanha e Cleidson, junto há 19 anos, acredita que quando se está na presença de Deus, o relacionamento não cai na rotina. “Fazemos algumas coisas que funcionam para nós, uma delas é não fazermos cobranças um ao outro, pois é um fator que desgasta bastante a relação. Além disso, reservamos momentos a dois para manter a chama acesa, para isso reservamos um valor para curtimos um fim de semana do mês juntos.

O casal Silvia e Cleidson (Foto: arquivo pessoal)

No dia a dia, o casal procura ter atitudes de carinho um com o outro, costuma fazer surpresas, enviar declarações por telefone, mostrando nos pequenos detalhes que se importam um com o outro. “São fatores que fazem muita diferença para manter um relacionamento saudável e apimentar o dia mesmo a distância, trazendo a vontade de chegar em casa logo para nos vermos e namorar”, disse Silvia.

Silvia acredita que a intenção é mais importante que o lugar, por isso se sente confortável em frequentar motel. “Tive conhecidos que eram amantes e que usavam reunião de trabalho como motivo para passarem o fim de semana em pousada. Então, não é o lugar, mas as atitudes das pessoas que são pecaminosas”, avalia.

 

claudio-duarte
Pastor Cláudio Duarte orienta buscar referências bíblicas para a vida conjugal

O pastor Cláudio Duarte, que desenvolve um ministério com a família,  tem uma visão diferente e não aconselha idas a motéis. “Não temos uma referência bíblica direta que embasa isso, mas temos a visão espiritual. Sabemos que o ambiente do leito de um motel não é santo. Com certeza, não há anjos do Senhor num local desses, por se tratar de um ambiente em que ocorrem muitos adultérios. O motel é um local de alta rotatividade de pessoas e a finalidade é ser um ambiente propício para práticas sexuais. Não vemos família frequentando motel, mas hotéis ou pousadas. Com certeza, não é um local recomendado para o casal estar,” afirma.

Efésios 4:27 diz: “Não deis lugar ao diabo”. Quando estamos em um templo, nossa alma é envolvida pelo sagrado. Se entrarmos em um local de pecado, seremos envolvidos pela iniquidade e imoralidade. Além disso, se o casal cristão vai a um motel, está colaborando indiretamente com o que não é lícito à vida espiritual, como destaca o pastor Duarte.

O pastor Duarte não recomenda ainda assistir a filmes pornográficos a dois. “Até porque nós, cristãos, acreditamos em questões espirituais e essa situação de visualizar o corpo de outra pessoa, observar a nudez e o prazer sexual de outrem, é incorreta. Biblicamente, o ato é considerado pecado de lascívia”.

Silvia concorda com Duarte e não vê de forma natural um casal assistir a filmes eróticos para apimentar a relação. “Acredito que o parceiro poderá estar pensando na atriz do filme em vez da esposa, e vice-versa,  não acho saudável para a relação”. Ela acredita na presença divina entre o casal. “Deus também se faz presente entre um casal, é preciso ser prudente, mesmo entre quatro paredes, é preciso ter olhar cristão para o sexo”.

Foto: Arquivo pessoal

Para Junior Fanticelli, pastor e líder do Ministério Casados Para Sempre no Espírito Santo, a relação sexual tem que ser algo prazeroso, que necessita contemplar os dois lados, com intimidade, conversa e amor. “Temos ensinado aos casais que o prazer deve ser para os dois. Não devo me submeter a qualquer situação na cama que me deixe com sentimento ruim, que me deprecie ou coloque minha honra de lado”, orienta.

“Buscamos ter nossa intimidade seguindo os princípios de Deus, é como diz I Coríntios 6:12 ‘Tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas eu não deixarei que nada me domine’. Ou seja, é válido um pouco de ousadia, mas nada que seja desconfortável para os dois, e assim, manteremos um relacionamento puro e duradouro”, avalia Silvia.

Sobre a permissão para usar ou não fantasias sexuais, o pastor Duarte acredita que depende. “Acho que não tem problema nenhum a mulher ou o marido se caracterizar com alguma roupa para agradar o parceiro e dar uma apimentada. O que não pode é o corpo deixar de ser o centro do desejo”.

Silvia diz que  prefere não investir em fantasias, apenas em lingeries. “Acredito que ousar numa lingerie mais sexy pode ter mais resultado, além de poder ser usada mais vezes”.

Os estudiosos do assunto ressaltam que o sexo é algo sublime para Deus e que deve ser regado por amor, fidelidade e atenção entre o casal.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se