Fábio Hertel sobre marcas do coração

Foto: Arquivo Comunhão

O cristão e empresário Fábio Hertel diz que é preciso ganhar a mente e o coração do cliente. “Nossa motivação deveria ser mais focada na excelência e nos resultados a longo prazo e deixar Deus agir no sobrenatural”, afirmou

Bacharel em Teologia, psicanalista clínico, pós-graduado em Marketing e uma história recheada de empreendedorismo, criativo, boas estratégias e conhecimentos sobre negócios. É o currículo do empresário Fábio Hertel.

Criador do aplicativo da Bênção, com mensagens voltadas para a família cristã, Fábio ministra palestras em igrejas, instituições e empresas contando sua experiência de sucesso de mais de 30 anos no mercado varejista. Através da palestra marcas do coração, ele aborda sobre a fidelização do cliente com foco na inovação, no relacionamento e visão estratégica.

Membro da Missão Evangélica Praia da Costa, em Vila Velha (ES), o empresário faz questão de colocar Deus em tudo o que faz. É um colaborador para o crescimento do reino. Fábio é um dos palestrantes da sétima edição do Congresso Empreendedores do Reino, que será realizada entre os dias 22 a 24 de agosto, em Vitória (ES). Confira!

Comunhão – Para o empreendedor, o que são marcas do coração?

Fábio Hertel – São marcas que fazem para além do acadêmico e usual de mercado, que investem para ganhar não só a mente ou o dinheiro de seus clientes mas também o coração.

Algumas empresas trabalham com o chamado “drive do coração”, criando marcas que ocupam um lugar privilegiado na mente e no coração de seus clientes. Mas como fazer isso?

Com um processo longo de pequenas conquistas onde as pessoas são consideradas mais importantes que as coisas. As motivações aqui são decisivas. Você está montando um negócio para ganhar dinheiro apenas ou para servir aquelas pessoas e a comunidade? Neste caso, ganhar dinheiro e servir são igualmente importantes.

O mercado tem surpresas, mas existe posturas e equilíbrio do empreendedor. Como lidar com as dificuldades e tendências alcançando a mente e o coração das pessoas para um resultado a longo prazo?

O mercado é muito duro e não tolera a incompetência. Você pode começar pequeno mas precisa ser muito bom no que faz. Uma ideia apenas nunca será o suficiente. Pode ser um bom começo, mas será preciso estudar muito, se aconselhar, testar, investir, criar, inovar e trabalhar diligentemente.

E para o empreendedor cristão, como ser diferente no mercado, sendo sucesso, sem perder os valores cristãos?

Foto: Renato Cabrini

Uma empresa de sucesso é um milagre sempre, que se materializa com muita dedicação, estratégias e competência. Neste universo, o modus operandi é uma decisão da liderança, do empreendedor.

No caso do cristão, a única opção é adotar os valores do Reino como ética, transparência, honra, amor, misericórdia, excelência, etc.

É nadar contra a maré do mercado mercantilista. Mas nós cristãos já nos acostumamos a nadar contra as correntezas, não é mesmo?

Colocar Deus 100% no negócio é a chave do sucesso?

Eu me converti lendo o livro “Deus é o dono do meu negócio” de  Stanley Tam, que conta que no princípio Deus era apenas um abençoador de seu empreendimento e depois um sócio. Mas os melhores frutos vieram quando Deus se tornou o dono absoluto. Colocar Deus 100% nos negócios é a única opção para o empreendedor cristão, é a única maneira de se ter equilíbrio e paz na alma, mas isso não garante o sucesso. Vejo muito crente piedoso e com boas intensões que quebra. No caso do Stanley Tam ele teve inúmeros desafios até ser um empreendedor bem sucedido. Gosto de imaginar a cena dos trabalhadores que construíram os muros de Jerusalém sob a liderança de Neemias, com uma espada à mão e uma colher de pedreiros em outra. Se compararmos a espada à Palavra de Deus e a colher de pedreiros às habilidades e recursos necessários para um empreendimento, então teremos uma fórmula vitoriosa.

Você tem mais de 30 anos de experiência no varejo, muitas estratégias deram certo e outras erradas, mesmo assim, é um negócio de sucesso. O que aprendeu com os erros?

Aprendi que motivações claras e elevadas são poderosas ferramentas para nos encorajar a continuar. E que sucesso combina com processos e longo prazo. Vejo uma geração muito empolgada com modelos de start up que apresentam, estatisticamente, poucos resultados. Gente que tem uma ideia e acredita que venderá seu negócio em pouco tempo e ficará milionário. Isso acontece, mas é a exceção. Nossa motivação deveria ser mais focada na excelência e nos resultados a longo prazo, e deixar Deus agir no sobrenatural.

Há quem diga que a tecnologia e a inovação se tiverem juntas e equilibradas podem ser uma saída poderosa para tempos de crise e para o sucesso do negócio também.  Mas como usar essas ferramentas de forma criativa?

A tecnologia e a inovação precisam estar na pauta do empreendedor. A fila anda, e muito rápido. Quem não está antenado com essas matérias ficará para trás. Veja os casos clássicos de Uber x Táxi, Netflix x Locadoras de Vídeos. O empreendedor que não está disposto a estudar e na dose da genialidade introduzir novas tecnologias inovadoras está fadado ao insucesso. É como a revolução digital que não é uma modinha e nem pode ser delegada a um departamento da empresa, mas precisa estar no coração de toda a organização. A criatividade só brota através de um coração apaixonado por servir com excelência a esta geração.

Você criou o “aplicativo da bênção” , voltado para a família e que tem feito muito sucesso. Como foi a criação desse negócio? E quais os frutos que já colheu? Foi uma forma de contribuir com o reino?

Fábio em uma de suas palestras. Foto: Fabio Bellucio

O Aplicativo Bênção surgiu de uma dinâmica caseira onde abençoo minhas filhas à mesa durante às refeições. Comecei escrevendo frases à medida que ia lendo a Bíblia. Mais tarde descobri que tais frases eram Bênçãos poderosas que impactavam toda a minha família. Resolvi compartilhar este conteúdo através de um Aplicativo.

Hoje inclusive já está disponível uma versão em inglês, o Blessing. Milhares de pessoas já baixaram gratuitamente os Aplicativos Bênção e Blessing e me dão feedbacks incríveis desta simples mas poderosa ferramenta de Deus que é a Bênção dos pais. Certamente é um legado que espero deixar para as próximas gerações e uma forma criativa, digital e escalável de se compartilhar os valores do Reino de Deus.

O número de empreendedores no Brasil ultrapassa os oito milhões , segundo o portal do empreendedor, mas apesar desse crescimento, ainda falta muita contribuição do cristão para o empreendedorismo brasileiro?

Sim, acredito que muitos empreendedores cristãos não aplicam em seus negócios os valores do Reino. Conheço uma empresa varejista de sucesso, cujo empreendedor é Católico, e as reuniões de liderança iniciam com a leitura da Palavra de Deus seguida de uma devocional consistente. A gravidez das funcionárias é comemorada e as futuras mamães acolhidas para que a vida seja celebrada. Quando um funcionário é desligado, toda a liderança se reúne para uma ato simbólico de agradecimento, honra e desejo de um futuro próspero. Acredito que atitudes assim alteram o ambiente de toda uma comunidade.

Quais as dicas para um empreendedor cristão de sucesso?

A primeira dica para o sucesso é o caráter, que aponta para a integridade, transparência, observância às regras, balança justa e que nossa palavra seja sim, sim e não, não. A segunda é a competência, que é desenvolver habilidades necessárias, estudo, disciplina e humildade para aprender sempre. A terceira é a curadoria, para ter discernimento e realizar escolhas alinhadas com os propósitos de vida e com os princípios de Deus. E a última que aponto é a colaboração, que diz que ter um espírito generoso para compartilhar todos recursos e assim gerar riquezas novas e acessíveis.

7º Congresso Empreendedores do Reino

Data: 22 a 24 de agosto
Inscrições aqui
Local: Centro Católico de Estudos – CECATE
Endereço: Avenida João Batista Parra, 525, Praia do Suá, Vitória (ES)


Leia mais

Empreendedorismo e Fé: Crescimento do Reino
A inovação é a saída
Os princípios cristãos nas relações profissionais