20 C
Vitória
terça-feira, 24 novembro 2020

Abby Johnson: “Ninguém está além da graça e do amor de Deus”

Leia também

País quer elevar comércio com a Índia, diz Guedes

"Nossos olhos brilham como vemos acordos como o da Ásia, que integram toda a região", afirmou o ministro da economia

PF faz ‘maior operação do ano’ contra o tráfico

Durante as investigações, que começaram em 2017, foram apreendidas 50 toneladas de cocaína nos portos do Brasil, da Europa e da África

Bolsonaro lamenta alta de preços de alimentos

O presidente ressaltou que sem medidas do governo federal, como a ajuda para pequena empresas e o auxílio emergencial

Separando fatos de ficção na história da celebridade pró-vida, Abby Johnson. Depois de ver um aborto na prática, deixar a clínica onde trabalhava para se juntar ao movimento a favor da vida, nos EUA. Sua história foi retratada no filme “40 dias, o milagre da fé”

Por Priscilla Cerqueira 

Em outubro o Brasil foi impactado com uma história real, retratada no filme “40 dias: o milagre da vida”, que chegou aos cinemas de todo o país. Longa mostrou o relato de uma ex-funcionária da Paternidade Planejada (Planned Parenthood), organização responsável por metade dos abortos realizados nos EUA. Trata-se de Abby Johnson!

A cena mais comentada no filme é também a mais horrível. Em dezembro de 2009, Abby teve uma experiência impactante que mudou sua vida. Ao ver um monitor de ultra-som abortando um não-nascido de 13 semanas, em minutos, a dor a motivou a mudar de lado.

Ela pensava que o bebê era incapaz de sentir algo com tão poucas semanas de concebido, mas conta que viu como ele se retorcia e fugia do tubo que o aspirava. A cena da morte a sua frente mudou sua concepção de vida. Então ela se tornou uma das principais vozes pró-vida do país.

Pró-vida convicta, Abby coordena movimentos em favor da mulher nos Estados Unidos e dirige a organização “And then there were none”, que tem por objetivo ajudar funcionários de clínicas de aborto a abandonar essa prática.

Em entrevista exclusiva à Comunhão, Abby contou com mais detalhes sua experiência ao vivenciar abortos, as dores traumáticas geradas, e a decisão de divulgar sua história na esperança de ajudar as mulheres a vencerem o aborto. Confira!

Quais são os segredos da indústria do aborto que muitos nunca ouviram falar? 

A maioria das pessoas que vão trabalhar na indústria do aborto são como eu. Elas querem ajudar as mulheres, mas descobrem que estão fazendo exatamente o oposto. Há histórias sobre abortos malsucedidos, sobre como pessoas sem treinamento médico administravam drogas e faziam exames de sangue, sobre como as clínicas davam medicamentos vencidos aos pacientes, sobre como a indústria do aborto tem cotas que obrigam as clínicas a cumprir. É muito sobre dinheiro. Mas também, sempre que houver qualquer complicação, eles farão de tudo para manter aquela mulher quieta, incluindo pagar seu dinheiro para mantê-la quieta. Isso é muito triste, porque nunca sabemos sobre essas tragédias do aborto. Muitas vezes as mulheres são feridas por um aborto e, em vez de ir à mídia para que outras mulheres possam ouvir suas histórias, elas são recompensadas e obrigados a assinar uma declaração dizendo que não divulgarão essas informações.

O filme “40 dias – Milagre da vida” é baseado no livro na qual você relata sua experiência de vida. O que te inspirou a transformar sua obra em um filme? Esperava a notoriedade que ele ganhou?

Nunca procurei fazer o filme. Os produtores pediram para me encontrar e eu concordei em lhes dar uma chance. Era assustador ser tão vulnerável ao mundo inteiro. Mas eu só espero que as pessoas vejam o quão quebrantado e enganado eu estava e vejam o amor e a compaixão dos outros e a misericórdia de Deus que finalmente me fez deixar a Paternidade planejada. Quando as pessoas virem o que não foi planejado, elas vão se afastar e nunca mais dirão que não sabiam o que era o aborto ou o que apoiavam. Espero que minha história afete as pessoas de forma positiva e mostre que ninguém está além da graça e do amor de Deus.

O que te fez mudar de lado e deixar a indústria do aborto? Poderia nos relatar sua experiência?

Comecei a trabalhar como voluntária na Planned Parenthood (Paternidade Planejada) porque queria ajudar as mulheres, e acreditava que sim. Fui subindo na hierarquia até me tornar a diretora da clínica, onde supervisionava a operação em Bryan, Texas. No final de setembro de 2009, o médico responsável pelo aborto precisava de ajuda para segurar a sonda de ultrassom durante o aborto de um feto de 13 semanas. Segurei a sonda sobre o abdômen da mulher para que o médico pudesse ver o que ele estava fazendo na tela de ultrassom. Naquela tela, vi a imagem do bebê chutando e tentando fugir do instrumento do aborto. Eu vi os braços e as pernas do bebê começarem a se mover. O médico ligou a máquina de sucção e vi o bebê rasgado no útero, a poucos centímetros de onde eu estava segurando a sonda. A última coisa que vi foi a espinha dorsal passando pela cânula na tela do ultrassom. Nunca vou esquecer como era na tela. ão conseguia acreditar no que estava olhando, me senti mal do estômago.  Sabe o que dizem sobre um desastre de trem que você não quer assistir, mas você não consegue parar de olhar para ele? Foi assim para mim. Não queria olhar para ele, mas não conseguia parar de olhar para a tela. Pensei em todas as mulheres para quem menti. Eu estava pensando comigo mesmo: ‘E se eu tivesse contado a eles a verdade? E se eu soubesse a verdade – eu ainda estaria aqui neste trabalho? Essas mulheres teriam escolhido um aborto? Que tipo de diferença teria feito se todos nós soubéssemos a verdade? Por que eles estão tentando esconder isso?’ Naquele momento, entendi que existia vida no útero e quis ir embora. Saí uma semana depois.

filme_milagre da vida
Cenas do filme “40 dias – Milagre da vida”, que retrata a história de Abby Johnson. Foto: Divulgação

Como você superou a culpa e encontrou a liberdade?

Pela graça redentora de Deus.

Quais abordagens funcionam melhor para transmitir a mensagem pró-vida?

Sempre devemos falar a verdade em amor. Gritar um com o outro nunca funciona. Precisamos de mais conversa sobre esses tópicos difíceis porque quanto mais e mais apoiadores do aborto com quem eu converso, mais eu percebo que a maioria dessas pessoas está respondendo magoada. Parece raiva, mas é muito doloroso. Muitas dessas pessoas foram afetadas pelo aborto de uma forma ou de outra. Nosso objetivo deve realmente ser amá-los e ser Cristo para eles quando pudermos. Isso é difícil porque – acontece comigo também – você se apaixona por alguma coisa e às vezes é difícil manter a compostura, especialmente quando as pessoas falam em matar crianças inocentes. Não acho que devamos recuar diante da verdade, mas descobri nos últimos 10 anos que a melhor maneira de dialogar com alguém que talvez pense diferente de você é começar a fazer perguntas. Então você pode realmente chegar à raiz do que está acontecendo e por que eles acreditam da maneira que acreditam.

Você acredita que o debate político sobre o aborto ofusca a realidade do procedimento médico em si? Como a igreja pode abordar o assunto e ajudar a sociedade?

Pela primeira vez em nossa história, um aborto foi descrito em detalhes horríveis e honestos na Convenção Nacional Republicana no ano passado, quando fiz meu breve discurso. A realidade atingiu as pessoas com força e recebi centenas de mensagens de agradecimento por ter falado sobre isso. A igreja precisa falar sobre o aborto, para descrever o que realmente é. Quando o filme apareceu nos Estados Unidos, muitos cristãos e pessoas pró-vida me disseram que não sabiam que o aborto era assim. Foi chocante ouvir isso.

Uma das maneiras pelas quais você luta contra a indústria do aborto é ajudando as pessoas que trabalham nas clínicas. E como faz isso? E por quê?

Acredito que a maioria das pessoas que trabalham em clínicas de aborto não quer trabalhar lá. A maioria delas são mães solteiras, e precisam ser capazes de sustentar suas famílias. Nosso trabalho fornece tudo o que for necessário para tirá-las dessa situação e ajudá-las a receber um cheque de pagamento em outro ramo de trabalho. Trabalhamos com defensores das calçadas que frequentemente conversam com os trabalhadores que entram e saem da clínica e lhes dão nossas informações. Enviamos cópias de Não planejado para todas as clínicas de aborto do país. Chegamos a essas clínicas porque, se as trabalhadoras do aborto saírem, ninguém ficará para administrar as clínicas de aborto.

É possível acabar com o aborto e fazer as pessoas entenderem que Deus é a fonte de esperança?

Sim, é totalmente possível tornar o aborto impensável estando presente em todos os sentidos para as mulheres que enfrentam crises de gravidez, ajudando-as a pagar o aluguel, obter creche, o que for necessário. E também educando o público sobre o que é o aborto, o fim cruel da vida humana inocente. Enquanto isso, continuamos transformando o paradigma da cultura da morte.

O que diria para uma jovem que está pensando em fazer o aborto?

Muitas vezes as mulheres escolhem o aborto por conveniência. Na maioria das vezes, eles pensam que o aborto será uma solução rápida. Eles acham que o aborto vai tornar a vida deles mais fácil, e eu sei que não, pois não é algo que você simplesmente faz e vai embora. Estará com você pelo resto de sua vida. Muitas mulheres que optam pelo aborto são mais jovens, essa memória da criança que abortaram volta a eles quando estão segurando seus filhos desejados. Meu conselho é: ‘Não importa o que você tenha dito, seu bebê tem batimentos cardíacos e vai sentir o que está acontecendo com ele durante o aborto. Seu bebê vai sentir essa dor. E, quando acabar o aborto, alguém vai ter que voltar e remontar o bebê que estava no seu útero. E vão saber se era menino ou menina. Isso é muito real. Isso não é apenas uma massa de tecido. Este não é apenas um aglomerado de células. Este é um bebê de verdade no seu útero’. Nós podemos ajudar você, independente do problema que esteja passando, você é amada e querida. Esse aborto será uma decisão da qual você se arrependerá pelo resto da vida

O aborto pode gerar cicatrizes, dores e traumas. Qual mensagem deixaria para as mulheres feridas pelo aborto? 

A resposta da indústria do aborto é a pessoa é fraca ou emocionalmente instável para começar. Eles acreditam que para uma pessoa normal, você vai ficar bem depois do aborto e simplesmente dispensam as mulheres que se arrependem depois de um aborto, e pensam que algo está errado com eles. Mas há cura disponível e suporte após o aborto. As mulheres não precisam viver com essa dor intensa todos os dias. Tanto as mulheres quanto os homens prejudicados pelo aborto têm opções de cura e espero que eles dêem esse passo.

Veja o trailer do filme “40 dias, o milagre da fé”

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Deive Leonardo grava última série do ano: Confira!

Gravação será no dia 12 de dezembro, em São José do Rio Preto (SP). Saiba mais!

Miniconferência on-line: “Fé e Ciência para Corpos e Mentes”

Cientistas cristãos brasileiros respondem questões de fé e ciência para corpos e mentes. Tema será abordado na mini Conferência online. Saiba mais!

Ataque a igreja nos EUA deixa dois mortos

Ataque aconteceu na Igreja Batista da Graça, em San José, Califórnia. Não havia culto no momento do ataque, apenas moradores de rua, que estavam abrigados no local. Saiba mais!

Por que nossa cultura não pratica a circuncisão?

Anônimo O Antigo e o Novo Testamento formam a Bíblia Sagrada, que, desde o Gênesis até o Apocalipse, aponta para Jesus, aquele pelo qual todas...

Atriz é demitida por se posicionar contra a homossexualidade

Após usar sua página no facebook para escrever seu posicionamento contra a homossexualidade, a atriz cristã foi demitida de uma peça de teatro que participaria como atriz principal. Saiba mais!

Bíblia 365! Leitura em um ano da Palavra de Deus

Editora Mundo Cristão lança "Bíblia 365", diagramada especialmente para a leitura em um ano Acaba de chegar ao Brasil a Bíblia 365, lançamento da Editora...

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

Seminário de ciências bíblicas em edição virtual; começa hoje

Realizado há 20 anos pela Sociedade Bíblica do Brasil, evento incentiva o estudo e capacita líderes sobre o uso da Bíblia.

Grandes artistas do Brasil no “BH profetiza”

Realizado pela cantora Camila Campos, O BH profetiza vai reunir diversos cantores, entre eles Weslei Santos, Gai Sampaio, pastora Helena Tannure e outros. Evento será transmitido ao vivo, nesta terça-feira, 17 

Conferência pastoral Fidelidade Extrema

Realizado pela Associação Evangelística Billy Graham, a Conferência começou hoje, 13 e vai até amanhã. Saiba mais!

A esperança não decepciona! Live DIP 2021 é hoje

A Missão Portas Abertas fará Live de lançamento do DIP 2021, hoje, às 19 horas para dar detalhes sobre o Domingo da igreja Perseguida. Saiba mais!
- Publicidade -

Plugue-se

Deive Leonardo grava última série do ano: Confira!

Gravação será no dia 12 de dezembro, em São José do Rio Preto (SP). Saiba mais!

Bíblia 365! Leitura em um ano da Palavra de Deus

Editora Mundo Cristão lança "Bíblia 365", diagramada especialmente para a leitura em um ano Acaba de chegar ao Brasil a Bíblia 365, lançamento da Editora...

Leonardo Gonçalves e seu “Sentido”

Projeto reúne canções que marcaram os primeiros 20 anos da vida do artista e ainda homenageia músicos que o ajudaram em sua formação e carreira musical

“Força pra encarar”, em prol da consciência negra

Os cantores Leidy Murilho, Talita Barreto e Asaph, da Sony Music se uniram pra cantar uma canção em prol da consciência negra