28.9 C
Vitória
domingo, 28 novembro 2021

Enfermeira cristã é espancada no Paquistão: Veja vídeo!

Acusada de blasfêmia, a enfermeira cristã foi espancada por colegas de trabalho de um hospital que fica na cidade mais populosa do país. Agressão partiu de um colega muçulmano

Por Priscilla Cerqueira 

Mais uma cena de intolerância religiosa que aconteceu no Paquistão! Um vídeo que circula nas redes sociais mostra uma enfermeira cristã apanhando de seus colegas de trabalho. Ela foi acusada de blasfêmia por um colega muçulmano. A enfermeira que aparece no vídeo é Tabitha Nazir Gill, 30 anos.

A agressão aconteceu na última quinta-feira (28) no Hospital Maternity Sobhraj, na cidade de Karachi, na província de Sindh, onde ela trabalhou por nove anos. O muçulmano, que não foi identificado, teria feito a acusação após uma disputa sobre o recebimento de gorjetas em dinheiro de pacientes do hospital.

De acordo com o relatório do ICC, a enfermeira-chefe do hospital instruiu toda a equipe médica a não receber gorjetas em dinheiro dos pacientes. Tabitha teria visto o colega de receber dinheiro de um paciente que estava internado no hospital. Por vingança, ele acusou a enfermeira cristã de blasfêmia.

Agressão

O vídeo mostra uma equipe do hospital espancando Tabitha depois de amarrá-la com cordas e trancá-la em um quarto antes da chegada da polícia. Ela foi levada sob custódia a delegacia de polícia. Mas ela foi libertada, pois não foi encontrada nenhuma evidência contra ela. Porém, a polícia foi pressionada a abrir acusações. Ela e a família fugiram para um local desconhecido.

No Paquistão, a blasfêmia,  insultar o Islã ou seu profeta Maomé, é um crime que pode ser punido com pena de prisão ou mesmo de morte. A lei da blasfêmia, incorporada nas seções 295 e 298 do Código Penal do Paquistão, é frequentemente mal utilizada para vingança pessoal.

Veja o vídeo

*Com informações de International Christian Concern

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se