Pesquisa de “efeitos negativos”: A emoção do cristão no trabalho

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Relatório Mundial da Felicidade aponta Brasil como o pior colocado na América Latina. “Efeitos negativos” – como raiva e preocupação – podem atingir os cristãos

O Brasil caiu 16 posições no “ranking da Felicidade”. É o que revela o Relatório Mundial da Felicidade. Além disso, se encontra no 32°lugar no mundo, dentre 156 países. Na categoria “efeitos negativos”, que avalia sentimentos como tristeza, preocupação e raiva, foi eleito como o pior da América Latina.

Além disso, ainda quanto os efeitos negativos, o país se encontra na 105° posição na classificação mundial. Isso é o que aponta a pesquisa realizada pela empresa Gallup, em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU).

AMBIENTE DE TRABALHO

No trabalho é onde passamos a maior parte do tempo, e deve ser um local onde todos se sintam a vontade. Assim destaca Reinaldo Passadori, CEO da Passadori Educação, Liderança e Negociação.

“Locais desorganizados, com muito barulho ou mal estruturados comprometem o bem-estar do colaborador o que, consequentemente, reflete na produtividade”, completa.

Entre os fatores da satisfação do colaborador estão, as relações interpessoais, seguidas da organização do ambiente e do reconhecimento.

“As empresas devem incentivar, sempre, a troca de informação e respeito entre os colegas, tendo em vista que o bom relacionamento no ambiente corporativo promove clima agradável, permitindo que o profissional tenha prazer de estar ali e realize as tarefas propostas da melhor maneira”, afirma Passadori.

Psicólogo Walter Marques (Foto: Arquivo pessoal)
Psicólogo Walter Marques (Foto: Arquivo pessoal)

Segundo o psicólogo Walter Marques, a saída para lidar com as pressões é ter válvulas efetivas fora do ambiente trabalhista. “Ter no seu lar um verdadeiro refúgio. Vivenciar a família em sua plenitude, cultivar uma vida espiritual saudável, além disso, cultivar hábitos saudáveis”, afirma.

COLABORADOR CRISTÃO

Com a virada do milênio e o advento da era da informação, profissionais de diversas áreas começaram a sentir esse “preço”. O psicólogo Walter Marques, alerta que a vida emocional e profissional cristão deve ser equilibrada.

“Entender que para se ter uma vida espiritualmente saudável se faz necessário mantermos o equilíbrio do tripé da vida. Ou seja, a homeostase entre espírito, alma e corpo”, revelou.

Ao relatar sobre a estrutura do líder espiritual, ou pastor, o psicólogo revela que a estrutura eclesiástica exige muito do colaborador cristão. Além disso, em alguns cenários o resultado é lamentável.

“Perde-se o sentido da vocação ministerial e começa-se um processo de produção em larga escala”, revela o psicólogo. Dessa forma, “essa visão gera no líder demandas de um executivo que precisa agradar em cheio o seu cliente (os membros da igreja) para garantir seu sustento”, completa.


LEIA MAIS

Descansar não é brincadeira. É questão de sobrevivência!
É preciso falar sobre o esgotamento profissional
Hernandes Dias Lopes: Causas e prevenções para o suicídio