back to top
23.9 C
Vitória
sábado, 22 junho 2024

Em meio à perseguição, cristão faz contrabando de Bíblia na China

Foto: Reprodução

“Sinto profundamente o chamado de cumprir a Grande Comissão. Isso me anima e encoraja a continuar comprometido com a missão de anunciar o Evangelho para o meu povo”

Por Patricia Scott 

Na China, a grande paixão pelo Evangelho faz Ming* contrabandear Bíblia mesmo em meio à perseguição religiosa. Ele vive em uma região muito fechada à Palavra de Deus. Por causa da fé em Jesus, o cristão perdeu a família e o trabalho.

Segundo ele, o trabalho de entregar Bíblias para cristãos perseguidos na China, que já era perigoso, se tornou ainda mais difícil nos últimos meses com a perseguição digital. Isto porque, de acordo com Portas Abertas, por meio do monitoramento de mensagens de celular e outros recursos tecnológicos, as autoridades monitoram cada pessoa de seguidores de Jesus como Ming.

Convicto do chamado para permanecer na área em que está e compartilhar o Evangelho na comunidade, Ming ressalta que mesmo diante dos problemas e das inconveniências com as autoridades locais, permanecerá firme. “Sinto profundamente o chamado de cumprir a Grande Comissão. Isso me anima e encoraja a continuar comprometido com a missão de anunciar o Evangelho para o meu povo”.

- Continua após a publicidade -

Ao descobrir que não está sozinho, Ming agradeceu por todo apoio em oração da igreja global. “Obrigado por orar. Sinto que não estou sozinho. Por meio das orações, posso sentir que Deus está cuidando de mim para que eu me sinta seguro. Deus tem me protegido de consequência mais graves, como ser preso”.

Jornada de fé

Desde que conheceu a Jesus na universidade, o cristão enfrenta a realidade da perseguição. O próprio pai o denunciou quando era um recém-convertido e cortou relações com o filho. Assim, por causa da fé em Cristo, Ming não conseguiu terminar a faculdade e foi obrigado a partir.

No entanto, anos mais tarde, Ming retornou à cidade natal, onde deu início a um grupo de estudos bíblicos. Entretanto, as autoridades descobriram. A punição foi o fechamento da empresa que ele havia estabelecido havia pouco tempo.

Os episódios vivenciados fez com que Ming deixasse de acreditar e confiar nas pessoas. “Apesar de Ming estar reaprendendo a confiar nas pessoas de novo, ele ainda tem muito medo do desconhecido e se sente inseguro quando se reúne com outros irmãos e irmãs na fé, compartilhou o parceiro local da Portas Abertas, Hao Ran*, foi presta suporte espiritual ao cristão.

De tempos em tempos, as autoridades locais voltam e revistam a casa de Ming. Essa pode ser uma das razões para ele ainda ter dificuldade em confiar. “Tenho o encorajado e orado para que ele possa conhecer Jesus de forma mais profunda”, disse Hao. Normalmente, eles se encontram duas vezes por mês, a menos que algo inesperado aconteça.

“Além de lermos a Bíblia e orarmos juntos, também faço treinamentos de discipulado, ou seja, como liderar pequenos grupos, com a esperança de que ele esteja preparado para liderar a igreja no futuro. Nos vemos em um lugar secreto, para que ele se sinta mais seguro para adorar a Deus”, revelou Hao.

Na China, a realidade de Ming é a mesma enfrentada por muitos cristãos secretos. O país está 19° posição na Lista Mundial da Perseguição 2024, elaborada por Portas Abertas, que classifica os 50 lugares onde é mais perigoso para o cristão viver.

Conforme relato da Portas Abertas, as atividades online são monitoradas, na China. Eles usam linguagem codificada com camadas extra de proteção para falar uns com os outros e permanecem vigilantes. A organização missionária fortalece os cristãos chineses por meio de discipulado e literatura cristã. “Ore pela China”, pede a missão. Com informações Portas Abertas

*nomes fictícios por questão de segurança 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -