back to top
20.9 C
Vitória
quinta-feira, 30 maio 2024

Em meio à guerra civil, missão constrói hospitais secretos em Mianmar

À medida que os bombardeios continuam, os atendimentos  médicos aumentam e expulsam mais moradores de suas casas

Por Patricia Scott

Em Mianmar, um hospital escondido na selva presta atendimento às vítimas da guerra civil. O conflito é entre os governantes militares e as minorias étnicas. Vale destacar que o país está em em 17º lugar na Lista Mundial da Perseguição (LMP) 2024 da Missão Portas Abertas, que destaca os 50 lugares mais difíceis para o cristão viver.

A instalação é secreta, porque o exército birmanês tem o hábito de bombardear hospitais, mesmo os civis. Com isso, os voluntários enfrentam ameaças constantes. Enquanto a guerra civil continua, o exército birmanês perde espaço para uma frente unificada de milícias e desertores.

“Estamos agora no estado de Karenni, num pequeno hospital que chamamos de Hospital Dr. Luca ou Hospital Luke. É um lugar que salva vidas. Centenas de pessoas vieram baleadas e feridas, especialmente desde o golpe”, disse Dave Eubank, fundador dos “Free Burma Rangers”, acrescentando: “Todos os hospitais que conheço no estado de Kearney foram bombardeados e destruídos, incluindo o hospital onde tudo começou”.

- Continua após a publicidade -

Em meio ao caos, voluntários do “Free Burma Rangers”, além de oferecerem cuidados médicos essenciais aos necessitados, prestam ajuda financeira. Todos trabalham sob grande risco para tratar os feridos e doentes. 

“Nos últimos anos, sempre tive no coração uma vontade de realizar este tipo de trabalho. Só não consegui encontrar a oportunidade e a organização certa, que combinasse a fé cristã e o trabalho humanitário. E depois de orar e pensar muito sobre isso, me pareceu a escolha certa e não me arrependi da minha decisão desde então”, testemunhou o cirurgião alemão Tom Avery.

Diariamente, aviões inimigos sobrevoavam a área em busca do hospital. Isto porque o exército do regime militar convocou homens para esse tipo de trabalho. A ação já fez com que os voluntários se escondessem em uma vala enquanto eram bombardeados.

“Obrigado Jesus, por favor, ajude-os a errar novamente”, orou Eubank. O grupo ao qual pertence está ajudando a financiar um segundo hospital, que também será escondido na selva.

À medida que os bombardeios continuam, os atendimentos  médicos aumentam e expulsam mais moradores de suas casas. Por isso, a necessidade de mais hospitais secretos. Com informações CBN News

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -