27 C
Vitória
terça-feira, 28 setembro 2021

Eleições 2020: pastores na disputa não usam o título

Nessas eleições um fato curioso aconteceu, o número de pastores candidatos que usam o título nas urnas caiu 75%. Saiba mais!

As eleições municipais estão chegando e terão centenas de candidatos com referência ao título de pastor. Mas em 2020, um fato curioso aconteceu. Em comparação com as eleições similares anteriores, em 2016 e 2012, esse ano, o número total de líderes evangélicos sofreu uma queda brusca.

Ao menos 816 candidatos se identificam na propaganda eleitoral e na urna como “pastor” ou “pastora”. Outros 75 fazem referência à fé evangélica de forma mais abrangente, como por exemplo, “irmão”.

Segundo uma matéria publicada na revista Época, dentre os candidatos com nome mais peculiar estão “pastor dançarino”, “pastor potente”, “pastora Deusa”, “pastor João Gato”, “pastor do açaí”, “pastor Manoel do céu”, “pastor dançarino” e “pastor Jesus”. Há ainda a “irmã Betânia do pastor Jorge” e “Aliete filha da pastora Abadia”.

Pastores na política

Com o crescimento numérico dos evangélicos no brasil, esse tipo de levantamento se tornou comum. Mas as eleições de 2020 mostram uma brusca redução do número de candidatos que fazem referência ao sacerdócio ou à fé evangélica em seu nome de candidato. O que não significa, necessariamente, que o número de membros de igrejas evangélicos que tenta um mandato nas urnas diminuiu.

Em 2016, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) indicou que houve, entre candidatos a prefeito e vereador, 3.316 concorrentes que utilizaram o título “pastor” no nome da campanha, um aumento de 25% em relação a 2012, quando o número foi de 2.643. Em comparação com 2020, a redução passa de 75%.

No grupo de sacerdotes, eram 557 as candidatas que se identificavam como “pastora” e 15 que usam variações com diminutivo ou aumentativo (“pastorzinho” ou “pastorzão) há quatro anos. Houve ainda aqueles que usaram o título como uma referência, como por exemplo, “Raquel do pastor João”. Esses somavam 39.

Além desses, havia também 2.186 candidatos que registraram seus nomes de campanha como “irmão” e 841 que usaram “irmã” na apresentação.

*Com informações de Revista Época

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se