21.7 C
Vitória
sexta-feira, 5 junho, 2020

Netflix compra direitos de exibição de filme sobre Edir Macedo

- Continua após a publicidade -

Mais lidas

Busca por passagem aérea no Brasil atinge mínima histórica no Google

Segundo dados do Google, a busca por passagem aérea no Brasil na plataforma atingiu o menor nível da série histórica, que começou em 2004

Líderes mundiais falam de vacina e coronavírus em evento para levantar US$ 7,4 bi

Representantes de mais de 50 países, incluindo 35 chefes de Estado ou de governo, participaram do Global Vaccine Summit, para arrecadar US$ 7,4 bilhões em recursos.

Novo record de mortes por covid-19 no Brasil; total vai a 32.548

Nas últimas 24 horas foram contabilizados 1.349 mortes por covid-19 no Brasil.

A igreja cresce e floresce graças à perseguição

Apesar de toda pressão aos cristãos no Norte da África, a igreja tem expandido rapidamente na região

“Nada a Perder”, filme sobre Edir Macedo, será disponibilizado nos 190 territórios onde a Netflix atua três meses depois do lançamento do longa-metragem nos cinemas.

Segundo o colunista Flávio Rico, do UOL, a transação envolveu o maior valor já pago pela gigante do ramo do streaming por um filme com diálogos em língua não-inglesa.
Segundo Rico, o acordo foi arquitetado por Douglas Tavolaro, vice presidente de jornalismo da Rede Record, empresa que tem Macedo como proprietário desde o começo da década de 1990.

A cinebiografia do fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, denominação neopentecostal que se tornou símbolo da chamada Teologia da Prosperidade e tem uma história marcada por escândalos, tem potencial de se tornar mais um sucesso de público.

“Os Dez Mandamentos – O Filme”, produzido pela Record com base em uma novela da emissora, teve uma carreira no circuito comercial pautada por controvérsias, mas atingiu a marca de 11,3 milhões de ingressos vendidos, superando “Tropa de Elite 2” como a produção nacional com o maior número oficial de espectadores nos cinemas em todos os tempos.

Segundo o UOL, depois que entrar no catálogo da Netflix, Nada a Perder terá cinco anos de exclusividade no serviço de streaming, ficando de fora de outros serviços de VOD.

A cinebiografia de Macedo foi dividade em duas partes. Com direção de Alexandre Avancini, “Nada a Perder – Parte 1” estreia nos cinemas no dia 1º de fevereiro de 2018. Petrônio Gontijo interpreta o papel principal em um elenco que também conta com Dalton Vigh, Beth Goulart, André Gonçalves e Day Mesquita.

- Continua após a publicidade -

Revista Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Encontro Sepal em nova data

A data do encontro Sepal, que aconteceria em maio foi alterada para setembro. Medida foi tomada de acordo com as práticas para o enfrentamento da propagação do coronavírus

Vila Mix em Casa Gospel com grandes nomes

Grandes nomes do meio evangélico do Brasil como André Valadão e Deive Leonardo vão participar do VillaMix em Casa Gospel. Evento será transmitido pelo youtube. Saiba mais!

“Carreata da solidariedade”, Marcha para Jesus em SP

Realizada pela organização da Marcha para Jesus, a ação foi batizada de “Carreata da Solidariedade” e será realizada no dia 13 de Junho

Diante do Trono anuncia congresso online

Diante da pandemia do coronavírus, a banda anunciou o "Congresso Mulheres e Moças" online

Receber notícias

Gostaria de receber notícias em primeira mão? Assine gratuitamente agora:

Plugue-se

Devocional para profissionais de saúde

Na linha de frente do combate ao Covid-19, os profissionais de saúde têm se exposto a riscos a fim de cumprir sua heroica vocação

Música evangélica de luto! Morre a cantora Fabiana Anastácio

Fabiana Anastácio, 45 anos, estava internada em um hospital de São Paulo e teve complicações após contrair a doença por ser hipertensa, obesa e diabética

Lições da Escola Bíblica em libras

Conteúdo está disponível no canal da CPAD no Youtube. Todos os vídeos com as aulas estão em libras

“A injustiça promove a ira de Deus”, diz Priscilla Alcantara

A artista usou suas redes sociais para expressar sua indignação com o racismo, o que ela chamou de "injustiça"