22.7 C
Vitória
terça-feira, 5 julho 2022

Ed René Kivitz: perdão incondicional

edrene
Foto: reprodução

“O perdão é um catalisador que cria a ambiência necessária para uma nova partida, para um reinício”

Por Marlon Max

Desde o princípio dos tempos, a Bíblia narra a trajetória da humanidade e sua evolução moral. Um dos pilares desta caminhada é a habilidade de perdoar uns aos outros. O próprio Cristo, na oração do “Pai nosso”, estabelece um modelo de convivência entre aqueles que afligem e os que são afligidos.

“Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”, ensina Cristo. Essa petição à Deus por perdão é a busca pela redenção, ao mesmo tempo que se manifesta a graça do Pai para ajudar o homem a perdoar as ofensas dos outros.

Para o teólogo e pastor Ed René kivitz, o muitos são incapazes de perdoar e receber perdão pois estão aprisionados em acusações. “A culpa é uma das forças mais destrutivas que habitam o coração humano. Alguns acham que têm uma dívida impagável, e outros pensam que possuem um crédito que jamais será quitados. As duas coisas causam destruição”, explica.

Foto: Unsplash

De acordo com Kivitz, esse sentimento de eterno devedor — não apenas do homem para com Deus, mas por vezes, uns com os outros, rouba a paz e enfraquece a espiritualidade. “O perdão é a forma que Deus oferece para pessoas que contraíram dívidas impagáveis. E assim, sanar qualquer débito e restaurar relacionamentos”, esclarece.

A falta de perdão, destaca o pastor, dissolve qualquer relacionamento. O sentimento de eterno devedor colocar um fardo sobre os ombros que torna a caminhada cristã impossível. “Não perdoar, com o tempo, condiciona a pessoa a ser receptora de ódio, desejo de vingança e, por fim, o anseio pela destruição com o devedor”, diz Kivitz.

Der acordo com o pastor, Deus nos oferece um caminho que começa e termina com perdão. Ele não leva em conta nossas dívidas, mas ao contrário, oferece uma paz profunda e curadora. “O convite dele nos diz: você tem comigo uma dívida impagável, mas você não precisa pagar. Eu sofro esse dano por você, porque prefiro perder com esse dano do que perder você”, analisa Ed René.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se