26 C
Vitória
terça-feira, 25 janeiro 2022

Ed René é desligado da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil?

ed-rene-kivitz
Foto: Reprodução/ Youtube

Alvo de um processo disciplinar da OPBB por ter dito que a “Bíblia precisava ser atualizada” durante um sermão em outubro do ano passado, o pastor Ed René Kivitz foi desligado oficialmente do órgão

Por Priscilla Cerqueira

O pastor Ed René Kivitz, da Igreja Batista Águia Branca, em São Paulo foi desligado da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil (OPBB). A informação foi confirmada para a Comunhão pelo presidente da instituição, o pastor Adilson Ferreira dos Santos, que não quis entrar em detalhes sobre o motivo do afastamento.

O órgão ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assunto. Ed René esteve no centro de uma grande polêmica após dizer em uma pregação em outubro do ano passado que a Bíblia era “insuficiente” e defendia uma possível “atualização” das Escrituras Sagradas.

Desligamento da OPBB

Diante do afastamento, o próprio Ed René gravou um vídeo e o publicou em sua página no Youtube comentando seu desligamento da OPBB.

“Eu preguei um sermão intitulado Cartas Vivas contra Letras Mortas. E foi nesse sermão que eu pronunciei os 8 minutos mais polêmicos da minha história de pregador. Fiz as declarações: ‘a Bíblia precisa ser atualizada e é um livro insuficiente’ que deram origem a um processo disciplinar, que culminou com o meu desligamento da OPBB”, explicou.

Ed.-Rene-Kivitz
Foto: Reprodução

Sobre suas escolhas e visões teológicas, Ed René respondeu: “Estou em paz com a minha consciência, estou em paz diante de Deus, com a minha comunidade, Igreja Batista de Água Branca”. E ainda se defendeu dizendo que o fato de ter sido desligado da OPBB não o “qualifica ou desqualifica como herege ou não ético”.

“Fui desligado, segundo o documento oficial, por não cumprimento do código de ética da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil. Mas isso não faz de mim uma pessoa não ética, muito menos um herege. Não compete à Ordem dizer o que é heresia e o que não é heresia, o que é ético e o que não é ético. Compete à Ordem dizer o que ela acredita que é heresia e o que não é heresia, o que é bíblico e o que não é bíblico, o que é ético e o que não é ético para ela. O que ela pode dizer é que no contexto dela eu não me enquadro nos critérios considerados éticos ou ortodoxos bíblica e teologicamente”, afirmou.

Investigação

Na época da polêmica, Ed René foi investigado por uma comissão de 13 pastores da denominação, de diversas áreas de atuação. O documento oficial divulgado pela Convenção Batista do Estado de São Paulo e a Ordem dos Pastores Batistas do Brasil/ Seção SP afirma que a exposição explicativa de Ed René “não refletia e não representava o posicionamento da instituição”.

As falas proferidas pelo pastor foram investigadas pela comissão. “Entendemos que se faz prejudicial ao Evangelho e à compreensão equilibrada da Palavra de Deus, bem como a sua aplicação, no sentido de trazer respostas ao ser humano, à igreja de Jesus Cristo e ao mundo em todo o tempo e em qualquer situação”, diz o documento publicado pelo órgão na época.

Apesar do desligamento, ele aproveitou para agradecer o tempo em que integrou o órgão. “Depois de mais de 30 anos eu me despeço da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil. Me despeço com gratidão e desejando que a Ordem seja um ambiente de inspiração, comunhão, orientação para tantos pastores, especialmente aqueles que, jovens como eu lá em 1988, hoje também precisam, carecem, de acolhimento, direcionamento, inspiração para as grandes demandas, os grandes desafios que o sagrado encargo pastoral impõe sobre nós”, concluiu.

Confira a declaração completa de René

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se