24.8 C
Vitória
sábado, 10 abril 2021

Max Weber: Economia e religião estão interligadas?

No livro “A ética protestante e o espírito do capitalismo”, o sociólogo alemão, Max Weber, se debruça em um estudo minucioso sobre as religiões e o sistema econômico do século XX

O desenvolvimento econômico de um país está ligado diretamente a fatores associados ao sistema político, educacional, da saúde, entre outros. No entanto, no decorrer da história da humanidade, estudiosos apontam a religião como um fator de enorme influência para a economia do mundo.

E, o sociólogo alemão, Max Weber, foi o primeiro a desenvolver um estudo aprofundado sobre as religiões protestantes e o sistema capitalista moderno, em seu livro A ética protestante e o espírito do capitalismo, escrito originalmente em 1904 e lançado no Brasil pelo Grupo Editorial Edipro. Saiba mais sobre o livro aqui!

Na obra, Weber investiga doutrinas de predestinação e êxito material como graça divina das religiões, traçando um paralelo destas visões de mundo com o desenvolvimento do capitalismo do século XX na Alemanha. Para o sociólogo, não se trata de expor a teologia moral dessas religiões, mas sim entender os encadeamentos psicológicos e pragmáticos que exercem um papel importante nas motivações praticas das atividades econômicas.

Essa relação entre o conteúdo das religiões e o desenvolvimento da economia de uma sociedade são muitas vezes indiretas, visto que acaba sofrendo a influência de outras instituições existentes nessa mesma sociedade. Então, Weber aponta para uma tendência à maior racionalidade econômica dos protestantes de sua época, em comparação à população católica.

Do ponto de vista de Weber, cada religião possuía uma implicação na conduta econômica das pessoas e, por sua vez, essas interferências divergiam em particular na forma de apresentação da “doutrina da salvação”, a qual as religiões faziam seus seguidores acreditarem.

A ética protestante e o espírito do capitalismo é uma obra fundamental aos estudos da história econômica, da ação de grupos sociais motivadas por crenças culturais, da secularização de conceitos religiosos, entre outros temas sociológicos, ciência política e filosóficos.

Sobre o autor

Max Weber é um jurista e economista alemão, é considerado um dos fundadores da Sociologia. Sua obra influencia, até hoje, os estudos nas mais diversas disciplinas como a economia, a filosofia, o direito, a ciência política e a administração.

Construiu uma extensa carreira acadêmica nas universidades de Humboldt de Berlim, de Freiburg, de Heidelberg, de Viena e de Munique. Grande parte de suas pesquisas foram dedicadas ao estudo do capitalismo. Foi consultor dos negociadores alemães no Tratado de Versalhes (1919) e da comissão encarregada de redigir a Constituição de Weimar.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se