Donald Trump emitirá alerta sobre liberdade religiosa na ONU

Presidente Donald Trump em discurso nas Nações Unidas(Foto: Timothy A. Clary / AFP)
Presidente Donald Trump em discurso nas Nações Unidas(Foto: Timothy A. Clary / AFP)

Na próxima segunda (23) o Presidente Donald Trump discursará na ONU e defenderá liberdade religiosa

O presidente norte-americano Donald Trump vai abordar temas de perseguição religiosa e anti-semitismo nas Nações Unidas. Ele participará do evento Global Call to Protect Religious Freedom na próxima segunda (23).

Stephanie Grisham, secretária de imprensa da Casa Branca, garantiu que o presidente pedirá medidas concretas por parte da comunidade internacional.

“O presidente pedirá à comunidade internacional que tome medidas para evitar ataques contra pessoas com base em sua religião ou crença e para garantir a santidade das casas de culto e de todos os espaços públicos para todas as religiões”, declarou.

Desde que se tornou presidente, Trump destacou a situação das vítimas de perseguição religiosa. Há alguns meses atrás, o presidente passou mais de uma hora ouvindo histórias de sobreviventes no Salão Oval.

“Estou muito orgulhoso de vocês, da maneira que reagiram a uma vida diferente. É uma coisa tremenda”, destacou o presidente na ocasião.

A proteção da liberdade religiosa é uma grande prioridade do governo Trump e foi, inclusive, promessa de campanha presidencial em 2016.

ORAÇÃO NA CASA BRANCA

O presidente também se concentrou fortemente no assunto da liberdade religiosa durante o Dia Nacional de Oração na Casa Branca. Participaram da cerimônia indivíduos e grupos que foram alvos de ações judiciais por defenderem sua fé.

Uma das vítimas do tumulto ocorrido em uma sinagoga em Poway, Califórnia, foi o rabino Yisroel Goldstein. No mês de maio, o rabino foi conduzido ao pódio presidencial, onde Trump fez uma promessa.

“Vamos lutar com todas as nossas forças e tudo o que temos em nossos corpos para derrotar o anti-semitismo, acabar com os ataques ao povo judeu”, disse o presidente.

Trump condenou todas as formas de perseguição, intolerância e ódio. “Todo o cidadão tem o absoluto direito de viver de acordo com os ensinamentos de sua fé e as convicções do seu coração”, afirmou e completou “Este é o alicerce da vida americana”.

*Da Redação, Com informações da CBN News


LEIA MAIS

Relembre: Os 18 anos do 11 de setembro