28.8 C
Vitória
terça-feira, 23 abril 2024

Bullying e cyberbullying, delete essa ideia!

Garota sofrendo cyberbulling. Foto: Reprodução

O bullying é uma agressão sistemática que causa vexame; uma violência que saiu do ambiente físico para o virtual: o cyberbullying

Por Lilia Barros

As aulas começaram no Brasil inteiro, por isso a Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP elaborou a primeira cartilha da campanha “Delete essa ideia”, um movimento orientação e combate ao bullying e cyberbullying. 

Essa prática que é uma triste realidade, atinge crianças e adolescentes, podendo se estender por outras fases da vida, e gera graves consequências para a saúde mental e física desses jovens a curto, médio e longo prazo não só para as vítimas, mas também para quem pratica e para o espectador que acompanha a ação.

“O bullying é uma agressão sistemática que causa vexame, é uma violência. Atualmente, o bullying sai do ambiente físico e passa para um ambiente que hoje é de extrema importância: o virtual. O cyberbullying tem um alcance e um poder de destrutividade muito maiores”, explica o Dr. Francisco Assumpção, psiquiatra associado da ABP e especialista em Psiquiatria da Infância e Adolescência.

- Continua após a publicidade -

Foco

A campanha é focada nos educadores e responsáveis, com o objetivo de contribuir com iniciativas educacionais que visam orientar crianças e adolescentes contra o Bullying e Cyberbullying.

O objetivo da campanha “Delete essa ideia” criada pela ABP e o lançamento da cartilha orientativa, é esclarecer, alertar e combater o bullying e o cyberbullying, com o propósito de diminuir o índice de casos. É muito importante dar foco neste assunto, principalmente no período escolar, tendo em vista que 23% dos estudantes brasileiros afirmam que já sofreram Bullying, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

Precisamos que juntos, todos atuem ativamente na conscientização de que esta prática não é brincadeira e não deve ser feita. O bullying se tornou um grave problema de saúde pública nos últimos anos, é um tema de grande desafio entre os educadores e responsáveis e precisa acabar.

Índices

“De acordo com a Pesquisa Nacional da Saúde Escolar do IBGE, são mais de 35% de meninos e 45% de meninas que já sofreram bullying, sendo 13,2% vítimas do cyberbullying. Nós precisamos diminuir esses índices e você é uma peça indispensável para nos ajudar nessa luta. O bullying precisa parar. Acabar com essa prática é uma missão de todos!”, disse Antônio Geraldo da Silva, presidente da ABP.

Converse sobre o assunto com seus filhos, amigos e familiares, para que aqueles que estejam passando por isso saibam identificar e buscar a ajuda necessária. O assunto não deve e não pode ser tratado como tabu. Atue ativamente na conscientização de que esta prática não é brincadeira e não deve ser feita.

Bullying não é brincadeira, delete essa ideia! 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -