26 C
Vitória
terça-feira, 25 janeiro 2022

Dívidas? Planejar é o caminho para sair delas

Diante de uma crise econômica generalizada no Brasil, especialistas afirmam que é possível sair do sufoco financeiro com planejamento e assim, ter uma vida melhor, próspera e feliz

Por Priscilla Cerqueira

Pasmem, mas 74% da população brasileira está endividada! O dado da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), através da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), de setembro de 2021, apontou que 10,9% dos brasileiros não têm condições de pagar suas dívidas. Antes da pandemia era de 69%.

São 19 milhões de pessoas desempregadas hoje, isso em um país no qual a inflação elevou em 10,25% nos preços nos últimos 12 meses. Uma crise econômica generalizada e sem precedentes. “É a maior taxa e o maior contingente de desocupados de todos os trimestres da série histórica, iniciada em 2012”, informou o IBGE.

Desde abril de 2020, 3,3 milhões de pessoas perderam seus empregos, segundo dados da Pnad/IBGE. O total do pessoal desocupado, no trimestre de fevereiro até abril, ficou em 48,5%, e se mantém abaixo dos 50% desde o trimestre divulgado em maio do ano passado, indicando que menos da metade da população apta ao trabalho tem emprego no Brasil.

É claro que pessoas com e sem planejamento financeiro pessoal conseguiram lidar com as adversidades financeiras. Porém, para quem estava sem suas finanças sob controle, os desafios com a inflação, aumento do preço dos alimentos, redução de carga horária no trabalho, dentre outros, funcionaram como uma montanha-russa de emoções, e sem freio!
Em tempos de crise como a que o Brasil está passando, com o desemprego em alta e famílias e empresas tentando equilibrar seus orçamentos, muita gente tenta proteger seu dinheiro e até obter algum ganho adicional com investimentos, protegendo suas finanças pessoais.

Contudo, quanto maior o ganho, maior o risco associado a ele, não raro, pessoas acabam perdendo dinheiro, às vezes muito dinheiro! Daí vem o desespero, que pode comprometer sua saúde mental.

Fonte: Sebrae

Finanças e mente saudáveis

Quem nunca teve problemas financeiros? Quem nunca passou “aperto” por falta de dinheiro? Quem nunca se preocupou em ganhar dinheiro, pagar dívidas, comprar alguma coisa a mais? Todos nós! O problema é que ao viver essa situação junto a ânsia de querer melhorar a condição financeira acaba afetando a saúde mental. É uma questão de tempo para outras áreas sofrerem também.

Então, crises financeiras intensificam o estresse e geram uma série de emoções negativas que agravam o humor. Preocupar-se constantemente com a possível escassez de seus recursos financeiros também causa insônia e ansiedade, podendo afetar a pessoa durante o dia.

A pessoa com saúde mental debilitada e problemas financeiros entra em um ciclo de preocupação, estresse e insatisfação contínua com a sua realidade. Por se encontrar em uma situação desconfortável, ela também pode ter vergonha ou medo de compartilhar os seus impasses com os outros, optando por se afastar de amigos e familiares. Sozinha, contudo, dificilmente consegue reestruturar as áreas debilitadas de sua vida.

O “X” da questão é que quanto mais problemas com dinheiro uma pessoa possui, mais emoções, sentimentos e pensamentos negativos ela alimenta. Isso pode gerar depressão e ansiedade, ambos interferem na capacidade da pessoa de tomar decisões em razão da apreensão constante, podendo refletir em uma má gestão da vida financeira.

Se você não consegue trabalhar e o trabalho é a sua principal fonte de renda, como ganhará dinheiro para ter uma vida confortável? Difícil! “O povo está saindo da pandemia, muitos perderam o emprego estão tendo que se virar com qualquer coisa e isso traz uma ansiedade, fora todo o panorama emocional que as pessoas estão vivendo de incertezas, medo e perdas. Nessa necessidade que as pessoas têm de buscar fonte de renda para suas famílias as deixa desestabilizadas”, argumenta a psicanalista Ilma Cunha.

Segundo a psicanalista, aí entra uma questão importante. É preciso ter produtividade, mas para isso, temos que qualificar melhor o nosso tempo, trocando ideia com a família, pensar em ações estratégicas e confiar em Deus.

“Tempo de crise é tempo de ajustes e o que nós não podemos deixar é o desespero tomar conta. A fé e a esperança sempre nos fortalecem e nos ajudam a vislumbar possibilidades. Somos criativos, então quando a família está junta, por um propósito maior sempre vão surgir boas alternativas. Não adianta cruzar os braços e começar a chorar e se fazer de vítima”, considerou.

Segundo Ima, o foco é pensar no que podemos fazer por nós mesmo hoje. “Ninguém vai fazer por nós aquilo que nós temos que fazer. Nem Deus vai mandar um anjo do céu vir aqui e organizar nossas finanças. Tempo de crise é tempo de criatividade”.

E como é possível ter uma vida mais leve e saudável, tendo equilíbrio na vida financeira com as demais áreas do nosso corpo? “Se alma e espírito vão bem, o corpo vai receber os benefícios O que a gente mais precisa hoje nesses tempos de desafio é ter paz e só temos isso com a presença do Senhor em nós A paz nos ajuda a enfrentar os desafios sabendo que não estamos só na nas lutas, mas precisamos ter uma vida espiritual sólida e consistente”.

Além de ter paz e confiança em Deus, o foco é mudar a mente e pensar positivo que tudo vai se resolver. “A mente renovada vai nos fazer pensar naquilo que podemos fazer e não nas impossibilidades, perdas e sofrimentos. Quando a nossa alma está turbulenta e agitada, busque a Deus. Não tem outro caminho”, aconselhou a psicanalista.

Fonte: Vittude, psicologia e coaching

Planejar é preciso

Por isso, a palavra mágica da vez é: planejamento! Sem um planejamento financeiro pessoal, os desafios econômicos tornam a vida financeira uma montanha-russa. Então, o melhor caminho é dedicar-se a elaborar um plano estratégico para sair desse sobe e desce sem controle. Hoje isso é mais que uma necessidade!

A Bíblia, que é a nossa bússola de fé, nos orienta sobre isso do Gênesis ao Apocalipse. São mais de 2,3 mil versículos que tratam sobre dinheiro e administração financeira. São ensinamentos que vão além de não fazer débitos e poupar, como não ter preguiça, trabalhar honestamente, evitar gastos desnecessários, analisar despesas com cuidado, recolher devidamente impostos, fugir do dinheiro fácil e outros.

Os famosos 12 mandamentos de Jesus sobre finanças, apresentados por Moisés há dois mil anos valem para os dias de hoje. O planejamento seria um deles. É o que Jesus ensina no evangelho de Lucas 14: 28-30, para que as pessoas calculem primeiro o preço antes de iniciar um projeto, para ver se tem dinheiro suficiente. “Os planos bem elaborados levam à fartura, mas o apressado sempre acaba na miséria”, descreve provérbios 21: 5.

As consequências da falta de planejamento são sempre cobradas ao preço de grandes sofrimentos, privações, prejuízos e, por vezes, humilhação. “A virada do calendário é algo muito significativo, pois inaugura um novo período. Zeramos as contagens e isto nos reanima. Motivamo-nos a começar coisas novas e, nesse contexto, planejar é muito importante”, afirma o pastor e consultor empresarial Usiel Carneiro de Souza, alertando, porém, que é preciso colocar em prática o planejado para colher benefícios.

Planejamento feito, agora a tarefa é honrar os compromissos! Uma vez feito o orçamento detalhado e o planejamento de gastos, é preciso mantê-lo em pleno funcionamento. Aqueles que se encontram endividados devem aproveitar o momento para honrar os compromissos e serem cautelosos a fim de evitar novas dívidas.

De acordo com o especialista em finanças à luz da Bíblia, pastor Ivonildo Teixeira, para sanar uma dívida alguns passos são importantes. É preciso assumir a despesa e se comprometer a pagá-la; procurar os credores e negociar da melhor maneira o pagamento do valor devido, e reduzir os gastos evitando fazer novas dívidas, até que o problema seja solucionado.

“As pessoas devem aprender com as lições vividas e sempre se perguntar: tenho necessidade de fazer tal compra? Esse desejo é prioridade ou apenas um impulso? Conseguiria viver sem comprar isso agora? Esses questionamentos evitam que as pessoas caiam nos mesmos erros”, ensina o pastor, que já publicou 34 livros sobre o tema.
Mesmo no atual contexto que vivemos, onde todos lutam para sobreviver, ter um orçamento controlado garante que a situação financeira fique sob controle, além de trazer possibilidades de uma rentabilidade melhor.

Fonte: IDinheiro

“Uma boa administração das finanças agrada ao coração do Eterno e move o coração de Deus a investir ainda mais na vida de seus filhos”, revela. “Periodicamente, dedique tempo para revisar e ajustar seu planejamento. Leia-o frequentemente, do contrário você o abandonará. Comece de forma simples e coloque nele tudo que sentir necessidade. A prática lhe dará o equilíbrio e os critérios para incluir ou excluir dados”, complementa o pastor Usiel Carneiro, que também é administrador de empresas.

No entanto, para o crente, todo e qualquer planejamento precisa nascer a partir dos planos de Deus. Na opinião do pastor Erasmo Vieira, apesar de ser importante planejar, não podemos esquecer que vivemos num mundo humanista e precisamos estar alertas contra situações que frequentemente nos fazem perder o foco, particularmente neste ano, afetado pela crise econômica e que pode trazer ainda mais preocupações.

“Nosso lado humano inclui apenas o princípio do prazer material, centralizando a vida no bem-estar do homem. Essa filosofia cria ansiedade e estresse, porque o homem não tem poder diante das circunstâncias. Mas se mudarmos essa ótica e estudarmos mais detalhadamente Rm 12:1-3; Rm 8:28; Sl 91 e outros, veremos que o centro da vida é o Senhor. E quando descansamos n’Ele, deixamos que Ele dirija a vida, Seu poder acalma nossos corações de filhos. Então, não é o cristão na crise, mas Cristo na crise. E Ele está disponível para nós, conforme Mt 28:20 e 1 Co 15:57”.

Uma vida melhor, mais leve e frutífera

Administração financeira requer cuidados e ação. José ficou conhecido como um dos maiores administradores de toda a história no mundo. Sua história, que está narrada em Gênesis 41, representa um bom exemplo de administração saudável. Ele recebe uma grande oportunidade e não a deixa escapar de suas mãos.

Durante sete anos, estoca todos os materiais e mantimentos possíveis; sete anos depois, quando a fome impera em todo o Egito, José tem recursos para dar e vender. O rei Salomão foi o homem mais rico dentre todos os personagens citados na Bíblia. A grande riqueza dele está diretamente ligada à sabedoria, pois ele reconheceu que tudo vem de Deus.

O livro “O Seu dinheiro”, de Howard Dayton, fundador do Ministério Crown – ministério interdenominacional que treina pessoas, em grupos pequenos, para gerenciarem bens materiais sob uma perspectiva bíblica – aponta princípios bíblicos para sair das dívidas, mas isso depende exclusivamente da pessoa. É um trabalho árduo, mas ele garante que dá certo.

O primeiro deles é orar. “Esse é o passo mais importante, pois ao pedir ajuda e direção do Senhor em sua jornada, Ele pode agir de imediato, como no caso da viúva (2ª Reis 4:1-7)”, ou de forma mais lenta. A oração é essencial”, recomenda o escritor.
Outros conselhos de Dayton é estabelecer um orçamento por escrito, listar todas as dívidas, estabelecer um programa de pagamento para cada credor, não acumular dívidas, estar satisfeito com o que você tem e por último: não desistir. “Não pare até que tenha alcançado seu objetivo maravilhoso de viver livre das dívidas. Lembre-se de que sair das dívidas é um trabalho bem difícil, mas a liberdade que você terá valerá a pena”, conclui.

“Um planejamento levado a sério somado a orientação de
Deus o resultado é sucesso!” – Ernani Fidler, pastor da igreja Visão, em São José dos Pinhais (PR)

De mendigo a empresário

Um planejamento levado a sério somado a orientação de Deus o resultado é sucesso! Soma-se a isso sonho e força de vontade de vencer. Já imaginou um mendigo virar empresário? Sim, é possível. E foi justamente isso que aconteceu na vida do Ernani Fidler, pastor da igreja Visão, em São José dos Pinhais (PR). Pai de dois filhos, ele viu sua vida desmoronar ao resolver se acomodar e gerar metas erradas.

“Apesar de ter uma base cristã bem sólida dentro de uma família com princípios cristãos, eu escolhi o comodismo que me levou ao fundo do poço, a ponto de mendigar. Cheguei ao fracasso e a derrota total, a ponto de viver sem a menor dignidade”, conta. Mas foi o período que ele mais orou ao Senhor de tal forma a questioná-Lo.

“Deus veja os prédios desta cidade, alguém é dono de tudo isso e eu não tenho o que comer. Olha esta churrascaria, até jogam comida no lixo e tem tanta fartura e talvez nem tem tempo para Ti”, conta. “Fui entender o propósito de Deus quando comecei a compreender as histórias descritas na Bíblia de tantos homens de Deus”, disse.

Em um destes dias, já com vários dias sem comer, Ernani tomou uma decisão diante de Deus: “Vou trabalhar para um dia ter um supermercado e um restaurante, só para poder comer bem. Assim começou a minha história dentro das promessas de Deus. A trajetória foi com grandes desafios, mas com a orientação do Espírito Santo, me espelhando em vencedores, fui subindo cada degrau, com a meta de fazer o dia de hoje ser melhor que o de ontem.

Hoje, viver como empresário nada mais é do que entender a promessa no dia de muita fome e que é preciso ser forte”, relata. Para quem já passou pelo caminho sombrio da fome, e conhece bem essa realidade, “eu diria que o Brasil vive o melhor momento de grandes oportunidades, então é hora de fazer acontecer. Temos um país maravilhoso para viver, que nos dá a liberdade de escolha, inclusive de não desistir. Mas talvez seja a hora de sair da caixinha”, exorta o pastor. Mas lembre-se: “tem momentos que é preciso confiar mais em Deus”, complementa.

Mas então, qual seria a receita de sucesso? “O planejamento é importante mas, amar a Deus e servir ao próximo com tudo o que temos recebido da parte de Deus. Quanto mais servimos, mais recursos vem para servir ainda mais. E as migalhas que ficam em nossa mão são o suficiente para um viver próspero em todas as áreas”, aconselha Ernani, que costuma ministrar em igrejas e escolas do Brasil sobre finanças, contando sua história.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se