Dívidas deixam 66% dos inadimplentes deprimidos

Constatação foi feita após um levantamento do SPC Brasil em parceria com a CNDL Nacional

Dívidas em excesso, além de prejudicarem o bolso do consumidor, também podem trazer uma série de problemas emocionais e físicos, como ansiedade, angústia, alterações no apetite e dificuldades no relacionamento pessoal.

A conclusão veio por meio de um levantamento nacional feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), junto a consumidores que têm contas em atraso há mais de 90 dias.

De acordo com a pesquisa, dois em cada três (65,6%) inadimplentes se sentem deprimidos, tristes e desanimados por estarem devendo e 16,8% reconhecem que por não conseguirem honrar os compromissos financeiros passaram a descontar a ansiedade em algum vício, como cigarro, comida ou álcool, sobretudo as pessoas das classes C, D e E (17,5%).

“Uma solução para esses casos é buscar ajuda. Para lidar com as finanças, é preciso muita racionalidade e ponderação para compreender a situação das dívidas e as melhores estratégias para quitá-las”, explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.