17.7 C
Vitória
quarta-feira, 5 agosto, 2020

Dilma barra indicação de embaixador de Israel no Brasil

Leia também

PIB contraiu 11,2% no 2º trimestre de 2020

Em relação ao segundo trimestre de 2019, a queda na atividade econômica apontada pelo IAE foi de 11,7%

Esperamos que agosto seja o pico da covid-19 nas Américas, diz Jarbas Barbosa

Durante a coletiva, o diretor-assistente da Opas comentou o fato de que o padrão de transmissão da doença na América Latina tem se mostrado distinto da Europa

Brasil: Prefeitos se unem em campanha de combate à covid-19

Iniciativa é da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), que negociou com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorização especial para veicular comunicação sobre a doença em jornais, sites, rádios e na TV durante toda a pandemia

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, anunciou que Israel não terá mais embaixador no Brasil. O motivo é a resistência da presidente Dilma Rousseff à indicação de Dani Dayan. O problema diplomático acontece desde agosto do ano passado.

O governo petista alega que o nome de Dayan não agrada. O Itamaraty estava adiando o agrément (aprovação do nome). Como Netanyahu não cedeu à pressão de Dilma, uma nova crise diplomática se instaurou. Dessa forma, a diplomacia de Israel no país ficará a cargo do segundo escalão da embaixada, o que, na prática, diminui o nível das relações bilaterais.

“Acredito que Dani Dayan é um candidato excepcionalmente qualificado. Ele continua a ser meu candidato. Acho que rotular pessoas é o próximo estágio após rotular produtos, e não quero rotular ninguém”, declarou Netanyahu, que marca posição ao não indicar outra pessoa para o cargo. Ao mesmo tempo, disse: “Espero que possamos fortalecer essas relações [Brasil e Israel]”.

Em entrevista à rádio do Exército israelense, Dayan disse: “Entendo perfeitamente a situação. No último meio ano, o Brasil se deteriorou em todos os sentidos e se tornou bem menos importante e desafiador ser embaixador”. Classificou a rejeição do seu nome de “boicote”. O destino provável do ex-líder dos colonos é um dos dois consulados gerais nos Estados Unidos, em Nova York ou Los Angeles.

Embate não é novidade
O embaixador anterior, Reda Mansour, precisou voltar a Israel por questões pessoais após pouco mais de um ano. Depois da indicação do nome de Dayan, e rejeição do Brasil, Israel afirma que tentou contatar diretamente a cúpula do governo brasileiro. Netanyahu reclama que a presidente Dilma havia “fugido” dele na conferência da ONU sobre o clima, em dezembro.

Ao longo de 12 anos do PT no governo, não foram poucas as vezes que o Brasil demonstrou que sua diplomacia estava enfraquecendo e não é a primeira vez que o país se posiciona contra Tel Aviv. Em 2014, o Itamaraty – por meio do Ministério das Relações Exteriores – criticou a ação de Israel na Faixa de Gaza como represália às investidas do grupo terrorista Hamas.
Na época, Israel respondeu com aspereza contra a nota indigesta do Itamaraty, chamando o Brasil de “anão diplomático”.

Segundo noticiou o jornal Yedioth Ahronoth, 40 movimentos esquerdistas brasileiros questionaram a nomeação de Dayan como embaixador. Acusam-no de violar o direito internacional nas comunidades palestinas. Alguns desses mesmos movimentos apoiam a Coreia do Norte, por exemplo.

Dayan é empresário, nascido na Argentina e tem 59 anos, tendo mudado para Israel aos 15. É formado em Economia, tinha uma empresa de software antes de entrar para a política.

Para o pastor e presidente do Fórum Político Evangélico, José Ernesto Conti, a presidente não está sendo coerente mais uma vez. “Imagine se um país escolhesse alguém para ser seu embaixador, para representá-lo no exterior, só porque ele ama um país inimigo? Vamos ser mais claros. Será que o Brasil escolheria alguém para ser seu embaixador na Argentina, só porque ele não ajuda o Brasil, mas ama os argentinos? Pois é o que o governo brasileiro está fazendo, exigindo que Israel escolha um embaixador só porque ele defende os palestinos e não Israel, seu verdadeiro país. Por isso, acredito que a decisão da presidente Dilma só tem sentido se tivermos uma visão totalmente estreita e limitada do que é ser um embaixador. Pense na situação irreal de Israel ou qualquer país, escolhendo um embaixador que defenda direitos de outro país, só para agradar o PT e seus amigos bolivarianos? Para mim, esta é mais uma trapalhada, das muitas já vistas, da nossa presidente que é uma ‘mulher sapiens’ que saúda a mandioca como uma das maiores invenções da humanidade”, avalia.

Confira o vídeo da rejeição da nomeação de embaixador de Israel no país.

- Continua após a publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Helena Tannure e Alda Célia no Congresso Vitoriosas

É a terceira edição do evento, que é voltado para mulheres. O tema do Congresso Vitoriosas 2020 será Transformadas. Saiba mais! 

Lagoinha abre curso Linhas de ensino; Saiba mais!

As aulas das turmas do primeiro módulo do Curso Linha de ensino se iniciam a partir de 17 de agosto. Saiba mais!

Fórum literário: O absurdo, a esperança e mais além

Realizado desde 2016, o Fórum literário é um curso para peregrinar nos caminhos da arte e da fé cristã. Evento, que será online, começa hoje, 27. Saiba mais aqui! 

Marcha pra Jesus é cancelada em São Paulo

Por causa do coronavírus a prefeitura de São Paulo cancelou a Marcha para Jesus. O maior evento cristão do mundo ocorreria em 02 de novembro deste ano

Plugue-se

Amanda de Sá feat Sanderson Moraes “Nossa bandeira”

Nossa bandeira é o terceiro lançamento da artista pela Sony music desde que venceu o festival de Música Eagle, edição ES, em setembro do ano passado

Faces da perseguição: o preço de viver pela fé

Viver pela fé em meio a perseguição. Na séria faces da perseguição, mostra a história do pastor Jean Marc, que enviou a família para um esconderijo no Congo, mas ficou na República centro-africana por causa da igreja. Saiba mais!

Max Weber: Economia e religião estão interligadas?

No livro "A ética protestante e o espírito do capitalismo", o sociólogo alemão, Max Weber, se debruça em um estudo minucioso sobre as religiões e o sistema econômico do século XX

Vida após a morte em “O Céu é de Verdade”

"O Céu é de verdade" foi sucesso de bilheteria nos Estados Unidos, conta a história de uma criança que visita o paraíso em uma experiência de “quase morte”