23.9 C
Vitória
sábado, 27 novembro 2021

Paralimpíadas: Deus fez dele um nadador campeão

O atleta está nos Jogos Paraolímpicos de Tóquio 2020 competindo nos 200m medley masculino e 400m livre. Saiba mais!

Um homem cujas pernas não se desenvolveram completamente por causa de um aborto mal sucedido. No entanto, ele se tornou um campeão de natação pela bondade de Deus.

O filipino Ernie Gawilan, de 30 anos, sobreviveu a um aborto mal sucedido que sua mãe tentou em 1991, com objetivo de esconder a gravidez.

“Devo ter sido um bom nadador, mesmo no ventre de minha mãe, porque sobrevivi ao aborto. Simplesmente nadei”, disse Gawilan.

Gawilan nasceu com um braço e pernas subdesenvolvidos. Entretanto, apesar de sua deficiência física, ele conquistou para as Filipinas sua primeira medalha de ouro nos Jogos Paraenses asiáticos de 2018.

Paraolimpíada

Ele também ganhou duas medalhas de prata e três de ouro nos Jogos Asiáticos do Pará de 2018, na Indonésia. O Comitê Paraolímpico Internacional disse que ele “se tornou o primeiro atleta filipino de qualquer esporte a ganhar uma medalha de ouro nos Jogos Paraolímpicos asiáticos ao triunfar no medley individual de 200m em 2018 na Indonésia.”

Gawilan ingressou nos Jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro em 2016. Apesar de não ter vencido a competição, ele acabou fazendo parte de um curta-metragem.

Curta-metragem

Sua jornada para os Jogos Paraolímpicos de 2016 no Rio de Janeiro foi adaptada para um filme de cinco minutos chamado ‘Gawilan’, lançado em 2017.

O filme foi dirigido e produzido pela cineasta filipina dos Estados Unidos Kelsy Lua, e concorreu à categoria de Melhor Filme no festival de cinema (Histórias de Esperança) de 2019, nas Filipinas. Essa informação foi destacada pelo Comitê Paraolímpico Internacional na biografia de Gawilan.

Outras conquistas

O atleta também competiu no Campeonato Mundial de Natação Paraolímpica Internacional de 2015, realizado em Glasgow, Grã-Bretanha. Ele disputou os 100m livres masculinos, nos 400m livres masculinos e nos 100m costas masculinos, onde classificou-se em 13, 11 e 15, respectivamente.

Gawilan foi premiado pela So Kim Cheng Sports Foundation e pelo Davao City Sports Council como Atleta Masculino do Ano em 2019.

Life News disse que Gawilan brincou em uma entrevista de 2014 que ele é um “bom nadador” que sobreviveu ao aborto.

Na entrevista, Gawilan revelou que seu pai o abandonou e sua mãe morreu de cólera quando ele tinha apenas 5 meses. Seus avós o criaram. Ele narrou como sofreu bullying por causa de sua deformidade. Quando ele tinha nove anos, um empresário conseguiu convencer sua avó a mandá-lo para um centro de jovens para deficientes.

Tóquio 2020

De acordo com relatórios sobre os Jogos Paraolímpicos de 2020, Gawilan ficou em quinto lugar em sua bateria para o medley individual dos 200m masculinos.

Do mesmo modo, ele terminou em nono lugar geral, uma posição a menos para competir pela rodada de medalhas.

Com informações de Christianity Daily 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se