21.6 C
Vitória
sexta-feira, 12 agosto 2022

Primeiro-ministro de Israel é reconduzido ao comando do Likud

O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu discursa no brinde anual de Ano Novo do Gabinete de Imprensa do Governo (GPO). (Foto: CBN News, Jonathan Goff)
O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu discursa no brinde anual de Ano Novo do Gabinete de Imprensa do Governo (GPO). (Foto: CBN News, Jonathan Goff)

O oponente de Netanyahu foi Gideon Sa’ar. O adversário tinha dito que a “realidade política” havia criado a necessidade do desafio

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, acusado de corrupção e contestação interna no Likud, foi reconduzido na noite dessa quinta-feira (26) à liderança do partido.

Ele venceu o candidato Gideon Saar, deputado e ex-ministro. Saar exigiu eleições para o comando do partido, após acusações contra o primeiro-ministro. Com 72,5% votos contra 27,5% do adversário, o premier comandará o partido nas eleições legislativas de março.

O premier ocupa lugar de destaque no partido desde 1993. Porém um intervalo de seis anos durante os quais o partido esteve nas mãos de Ariel Sharon. Aos 70 anos, ele é o primeiro-ministro israelense com mais tempo no cargo: 13 anos de governo, dez sem interrupções.

“Uma imensa vitória. Obrigado aos membros do Likud pela confiança, apoio e afeto”, escreveu Netanyahu na rede social Twitter, cerca de uma hora após a votação.

Ele disse que vai liderar o Likud em direção a uma grande vitória nas próximas eleições. “Continuaremos a levar o Estado de Israel a sucessos sem precedentes”, acrescentou.

QUINTA-FEIRA DECISIVA 

Membros do partido Likud do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu estão votando nesta quinta-feira (26) sobre o futuro político de seu líder.

Em uma manifestação do Partido Likud em Ashkelon na quarta-feira (25), Netanyahu foi levado do palco para um abrigo antiaéreo quando terroristas em Gaza lançaram um foguete na cidade.

No entanto, as Forças de Defesa de Israel disseram que foram interceptadas pelo sistema anti-míssil Iron Dome. Assim também a IDF disse que aviões de combate e helicópteros de ataque atingiram vários alvos do Hamas.

Não é a primeira vez que Netanyahu sai do palco devido a um ataque com foguete. O mesmo aconteceu durante uma manifestação de campanha em Ashdod, uma semana antes das eleições gerais de 17 de setembro.

Quando Netanyahu voltou ao palco, ele disse que o Hamas não queria que ele vencesse. Do mesmo modo, que o terrorista que havia disparado o foguete no ataque anterior “não está mais conosco”. Referência do assassinato do líder da Jihad Islâmica Bahaa Abu al-Ata. Ele disse que quem atirou o foguete no atual ataque “deveria reunir seus pertences”.

ELEIÇÕES NO LIKUD 

O único oponente de Netanyahu é Gideon Sa’ar. No lançamento de sua campanha, 10 dias atrás, Sa’ar disse que a “realidade política” havia criado a necessidade de desafiar Netanyahu. O Premier enfrenta o mais novo desafio à liderança na Primária de Likud de dezembro.

“Eu sei que poderei formar um governo liderado pelo Likud; que eu serei capaz de salvar o campo nacionalista. Que poderei unir o povo de Israel”, disse Sa’ar.

Sharren Haskel, parlamentar do Likud, disse recentemente por que está apoiando Sa’ar. “Como Israel esteve em turbulência política nas duas últimas eleições, infelizmente não fomos capazes de formar um governo. Eu acredito que Gideon Sa’ar é o único que conseguirá realmente formar isso”, disse Haskel.

Os israelenses passaram por duas eleições nacionais este ano e ambos terminaram com nenhum partido capaz de formar um governo de coalizão. Esta é a primeira vez em 14 anos que há um sério desafiador para a liderança do Partido Likud. Mas analistas dizem que Sa’ar não deve vencer.

“Não acho que Gideon Saar tenha grandes chances de derrotar Benjamin Netanyahu e, para ser sincero, não tenho certeza de que o próprio Sa’ar esteja procurando derrotar Netanyahu”, disse o Dr. Ofer Kenig, pesquisador do Israel Democracy. Instituto.

“Acho que seu objetivo principal é colocar-se na posição de próximo na fila depois que Netanyahu se aposentar nos próximos meses ou anos”, disse Kenig.

Mais de 115.000 membros do Likud são elegíveis para votar em todo o país. Mas o tempo tempestuoso pode levar a uma baixa participação. Os resultados serão divulgados na sexta-feira (27). Quem vencer, liderará o Likud nas eleições gerais de 2 de março de 2020.

*Da redação, com informações de Agência Brasil 


LEIA MAIS 

O encontro de Bolsonaro com Netanyahu 
Multidão saúda Netanyahu em Brasília 
Netanyahu sobre o Brasil: “é uma grande potência” 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se