21.9 C
Vitória
terça-feira, 21 setembro 2021

Descuido com saneamento básico chama atenção para manutenção preventiva

No Brasil, apenas 54,1% da população tem acesso ao saneamento básico, segundo dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento

Algo em torno de 114 milhões de pessoas, considerando que a população estimada do Brasil é de 211.755 692, conforme dados do IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Embora muitos não se deem conta, uma complexa rede de esgotos é responsável pela qualidade de vida dos cidadãos – e principalmente pela saúde.

De acordo com a ONU, Organização Mundial da Saúde, 15 mil brasileiros morrem todos os anos por doenças ligadas à precariedade do saneamento básico e 350 mil ficam internadas. Por isso, para transportar o esgoto de residências, prédios, indústrias ou comércios para as estações de tratamento, é necessária uma rede completa, com um conjunto de tubulações. Estas, devem ser assistidas e acompanhadas para reter e evitar problemas.

Problemas do cotidiano

Almir Camargo, consultor da desentupidora Eminente, explica que a maioria das pessoas tem dúvidas sobre desentupimento, caça vazamentos e limpeza de fossas. Segundo ele, muitos não sabem como manusear, mesmo que indiretamente, as tubulações no dia a dia. Um exemplo é a recorrência de problemas pelo descarte incorreto do lixo.

Em Belo Horizonte, descartar dejetos – e objetos – de forma indevida provocou o entupimento de 44 quilômetros de tubulação na cidade no ano de 2020, de acordo com G1. “Os sistemas de esgotamento sanitário são compostos por uma série de elementos, como bacia de drenagem, caixa de passagem, ligação predial, coletores, estação elevatória de esgoto, estação de tratamento de esgotos, rede coletora e interceptor. E é muito importante que toda a rede esteja funcionando de forma correta”, expõe.

Almir acrescenta que, tanto em imóvel individual como em condomínio, é importante que cada cidadão tenha consciência de que deve fazer a sua parte. “O sistema de esgoto demanda uma atenção especial, pois em casos de defeitos, pode provocar problemas ao patrimônio do morador, sem falar que pode ser uma grande ameaça à saúde de moradores”, argumenta.

Manutenção preventiva

Ainda de acordo com Almir, “a boa notícia é que, embora problemas de esgoto sejam comuns, medidas simples de manutenção preventiva podem evitar uma ‘dor de cabeça’ maior e evitar a perda de tempo e dinheiro”. Entre os benefícios em antecipar os problemas está o aumento da vida útil das instalações e o impedimento do aumento de pragas urbanas.

Por fim, o especialista afirma que “só com a manutenção preventiva será possível identificar possíveis problemas, garantir a saúde e evitar prejuízos”, conclui.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se