24 C
Vitória
quarta-feira, 21 abril 2021

Como estão os desabrigados das chuvas?

As fortes chuvas que devastaram várias cidades da região sudeste em janeiro deixaram muita gente desabrigada. Em Minas, ação humanitária da Convenção Batista Mineira leva esperança à população

Quase um mês depois que as fortes chuvas atingiram várias cidades da região sudeste, muitas pessoas, que perderam tudo, continuam desabrigadas. Em Minas, voluntários da Convenção Batista Mineira continuam nas cidades mais devastadas prestando ajuda e oferecendo serviços essenciais à população.

“Neste momento difícil, as ações falam alto ao coração destas pessoas sofridas, enlutadas e sem esperança“, declarou o pastor Marcio Santos, Diretor-executivo da CBM.

Ajuda humanitária e emergencial

Várias instituições religiosas e até mesmo igrejas prestaram solidariedade às vítimas das chuvas em MG e no ES. Estados mais devastados com as fortes chuvas em Janeiro. O trabalho de assistência social nas cidades mais afetadas desses estados continua.

A Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) e várias igrejas evangélicas ainda levam mantimentos e necessidades de urgência à população. Nove cidades de MG, mais devastadas, batistas mineiros desenvolveram um plano de ação junto às prefeituras locais para socorrer as vítimas.

Além da distribuição de cestas básicas, foi implantado também uma lavanderia, que lava as roupas que são doadas à população. Em Belo Horizonte, local onde se concentram as doações, há vários voluntários carregando caminhões que se dirigem às cidades levando roupas, alimentos, materiais de higiene pessoal dentre outros.

desabrigados 1
Lavanderia implantada em Espera Feliz (MG). Foto: Convenção Batista Mineira

Saúde na estrada

Outra ação desenvolvida é o Projeto Saúde na Estrada em Espera Feliz (MG). Que presta atendimentos básicos de saúde, prestando auxílio médico, psicológico e odontológico à população. Estima-se que 78% da cidade foi invadida pelas enchentes causadas pelas chuvas.

Para Doroti Campos, Gerente de Ação Social da instituição, disse que o cenário que encontrou em Espera Feliz foi desolador. “As chuvas deixaram a cidade em estado de guerra, um quadro pior do que encontrei  nos municípios de Barra Longa e Brumadinho, ambos após rompimento de barragens!”.

As igrejas que costumam ser um lugar de refúgio para abrigar as pessoas que perderam tudo. “Tenho 50 anos de estrada com Cristo e nunca enfrentei nada igual. A cidade foi toda alagada, muitas casas caíram, comércios destruídos e todas as igrejas enfrentam problemas. Aguardamos a manifestação dos irmãos para nos ajudar”, declarou pastor Sinésio Vilaça da Silva.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se