27.1 C
Vitória
sexta-feira, 28 janeiro 2022

Dentista é aliado no câncer de mama, destaca especialista

Mais Artigos

Ortodontista, Catarina Riva, fala sobre a importância desse profissional durante o mês da visibilidade do câncer de mama

O Outubro Rosa é mês de conscientização sobre o câncer de mama, a campanha de abrangência mundial busca gerar uma mobilização para alertar a população sobre a importância da mamografia e dos riscos da doença. De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer) apenas em 2018 foram diagnosticados quase 60 mil  casos da doença no Brasil e 2,1 milhões no mundo. Os números revelam a importância de que todos os profissionais da área de saúde se envolvam na ação, inclusive os dentistas. Tanto no cuidar dos pacientes oncológicos, quanto para reforçar a campanha em seus consultórios.

O tratamento para o câncer de mama pode ser intenso e trazer vários efeitos colaterais ao paciente. Procedimentos como quimioterapia, radioterapia, imunoterapia e outros com drogas sistêmicas podem diminuir a imunidade e trazer danos à saúde bucal.

Em muitos casos durante o tratamento é necessário combinar mais uma modalidade terapêutica, o desafio dos especialistas é encontrar a maneira mais eficaz e menos dolorosa possível para tratar a doença. O papel do cirurgião-dentista começa na avaliação do paciente assim que este iniciar o tratamento oncológico. Através de uma avaliação clínica e radiográfica o profissional vai detectar e tratar qualquer infecção bucal que possa piorar o quadro clínico futuramente quando a imunidade estiver mais baixa.

Perda de paladar, sensibilidade nas gengivas e dentes, surgimento de mucosite, xerostomia e infecção por radiação são alguns dos efeitos colaterais que podem surgir durante o tratamento do câncer. Por isso manter os cuidados com saúde bucal em dia assim que receber o diagnóstico é fundamental para evitar problemas que são recorrentes em pacientes oncológicos.

Para melhor atender e auxiliar os pacientes em tratamento oncológico, os profissionais da odontologia devem estar aptos a diagnosticar, prevenir, controlar e tratar as complicações orais que ocorrem nas diferentes fases do tratamento do câncer. Ações simples, como higiene bucal, uso de enxaguantes bucais específicos e controle do biofilme oral podem prevenir ou melhorar as manifestações orais secundárias ao tratamento do câncer. Um plano de tratamento paliativo multimodal personalizado deve ser desenvolvido para cada caso.

Lidar com um diagnóstico de câncer de mama não é fácil, além de afetar o corpo, o humor e saúde mental, essa doença pode afetar também a autoestima da mulher. Por esse motivo é essencial manter todos os cuidados com o sorriso durante o tratamento, poder sorrir sem medo ajuda na questão da autoestima e autoimagem e durante esse processo. Por isso é imprescindível que durante todo o período de tratamento a mulher receba apoio necessário para saber lidar com essas mudanças e para não deixar de lado o autocuidado.

Vale lembrar que o Conselho Federal de Odontologia (CFO) também ressalta a importância da campanha do mês de outubro na prevenção contra o câncer de mama. É papel do cirurgião-dentista, como profissional de saúde e cidadão, somar forças nesta campanha de conscientização.

Catarina Riva é responsável pelo Instituto Riva, formada em odontologia pela Universidade Federal do Espírito Santo, especialista em ortodontia, habilitada em laserterapia e em odontologia do sono.

- Publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Entrevistas