21.7 C
Vitória
domingo, 9 maio 2021

Atriz é demitida por se posicionar contra a homossexualidade

Ao escrever em sua página no facebook a visão bíblica sobre homossexualidade, a atriz cristã, Seyi Omooba foi demitida de um papel principal que faria em uma peça de teatro na Inglaterra

Na última quinta-feira, 19, a atriz cristã, Seyi Omooba, retomou um processo contra a sua demissão por causa de um post em seu facebook, na qual ela compartilhava a perspectiva bíblica sobre relacionamentos entre homossexuais.

Ela perdeu seu papel principal em uma peça que estava em cartaz no Teatro Curve, em Leicester (Inglaterra) e na coprodução de 2019 do premiado musical ‘The Color Purple’, em Birmingham Hippodrome.

O post no Facebook foi feito em 2014. Na publicação, ela disse não acreditar que as pessoas pudessem “nascer gays”. “Não acredito que a prática homossexual seja certa”, escreveu. O Teatro Curve de Leicester a dispensou do cargo, alegando que o post era “profundamente ofensivo para a comunidade LGBTQ”.

Processo judicial

Por conta da demissão, Omooba deu início a um processo judicial contra o teatro e seus agentes por sua demissão e garantiu o apoio de Lloyd Evans, crítico de teatro da revista ‘Spectator’, que afirmou em depoimento como testemunha.

“Não é importante para um ator concordar com os pontos de vista éticos ou os sentimentos de um personagem de uma peça. Se isso fosse necessário, a arte do drama não existiria, e muitas peças que consideramos clássicas seriam impossíveis de encenar”, afirmou ele.

Mas o depoimento dele e do teólogo Dr. Martin Parsons, chamando o post no Facebook de “expressão justa e razoável das crenças cristãs”, foram considerados inadmissíveis como evidência em audiências anteriores.

Omooba está contestando essa decisão no ‘Tribunal de Apelações Trabalhistas’ nesta quinta-feira. “O teatro me deu a escolha: me retratar de uma declaração sobre minha fé ou perder meu emprego. Eu não poderia fazer isso, nem mesmo para salvar a carreira que amo. A agência tomou a decisão de rescindir meu contrato com base em informação falsa”.

“Enquanto continuo a buscar justiça, apelo aos tribunais para permitir que esta prova pericial seja ouvida”, acrescentou.

*Com informações de Christian Today

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se