Justiça determina prisão de José Dirceu

Foto Reprodução Web

Condenação do ex-ministro é de 30 anos e 9 meses, por corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro na Lava Jato.

O ex-ministro José Dirceu tem até as 17h desta sexta-feira (18) para se apresentar à carceragem da Polícia Federal, em Brasília (DF). A determinação é da  juíza substituta da 13ª Vara Federal Gabriela Hardt,  que substitui Sérgio Moro, titular, que está fora do país.

O advogado do ex-ministro disse à Justiça que ele pretende se entregar. A juíza determinou a execução provisória da condenação de Dirceu a 30 anos e nove meses de prisão. Os crimes são corrupção, lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa, no âmbito da Operação Lava Jato.
O último recurso em segunda instância nesse processo foi julgado e negado por unanimidade pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre nesta quinta-feira (17). Dirceu está liberdade, mas monitorado por tornozeleira eletrônica. A defesa de Dirceu tem o prazo de 15 dias ainda para recorrer contra a condenação nos tribunais superiores STJ e STF.
Condenação

Dirceu foi condenado por Moro a 20 anos e 10 meses de prisão em maio de 2016. Em setembro do ano passado, o TRF4 aumentou a pena para 30 anos e nove meses. Ela foi agravada por conta de seus antecedentes. O ex-ministro já tem outra condenação por corrupção no caso do mensalão.

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), Dirceu teve participação num esquema montado pela Engevix, uma das empreiteiras que formaram um cartel para fraudar licitações da Petrobras a partir de 2005.

Com informações da Agência Brasil


Leia mais