24.7 C
Vitória
sexta-feira, 30 outubro 2020

Dasa se juntará à Covaxx para testes da vacina contra covid-19 no Brasil

Leia também

TCU investiga Bolsonaro e Flávio Bolsonaro

O senador Flávio Bolsonaro para debater supostas "irregularidades das informações constantes de Relatórios de Investigação Fiscal"

Guedes diz esperar que SP pague pela vacina

O presidente Jair Bolsonaro e Doria divergem publicamente sobre a obrigatoriedade da vacinação contra a covid-19

Bolsonaro reforça que não quer privatizar o SUS

Presidente destacou ainda que não pode remanejar recursos do Legislativo para a Saúde e que não era um "ditador"

As primeiras 10 milhões de doses serão direcionadas a redes particulares, mas a rede pública brasileira tem 15 milhões de doses garantidas

Por Matheus Piovesana (AE)

A Dasa e a Covaxx, uma divisão da americana United Biomedical que tem trabalhado em uma eventual vacina contra a covid-19, se juntarão em testes das fases II e III da vacina desenvolvida pela Covaxx no Brasil. Além disso, a empresa brasileira doará R$ 15 milhões ao desenvolvimento da imunização. Os anúncios foram feitos nesta quarta-feira, 9, em coletiva de imprensa virtual feita pela companhia brasileira.

De acordo com a Covaxx, a vacina é feita de peptídeos sintéticos de precisão, enquanto a da AstraZeneca é produzida a partir de um adenovírus extraído de chimpanzés, e imunizações como as da Moderna e da Pfizer em parceria com a BioNTech são produzidas a partir do mRNA do coronavírus. Os dados fornecidos pela companhia também afirmam que os anticorpos neutralizadores produzidos pela vacina estão acima de 32 mil.

Peter Diamandis, cofundador e vice-presidente do conselho da Covaxx, afirmou que um dos pontos mais importantes é que a vacina tem escala de produção à altura das necessidades de imunização da população. “A Covaxx usa a mesma plataforma que produz 5 bilhões de doses de vacinas para doenças em animais. Ela pode produzir vacinas em larga escala”, afirmou.

De acordo com a Dasa e a Covaxx, as primeiras 10 milhões de doses serão direcionadas a redes particulares, mas a rede pública brasileira tem 15 milhões de doses garantidas. “Temos discutido sobre o desafio que temos com a covid-19”, disse o diretor médico executivo da Dasa, Emerson Gasparetto. Ele afirmou ainda que além da doação da Dasa, MRV, Localiza e Banco Inter doarão, juntos, R$ 15 milhões para a vacina, totalizando R$ 30 milhões em recursos.

Recrutamento

Dasa e Covaxx esperam começar a recrutar voluntários para a fase II dos testes da vacina desenvolvida pela companhia americana até o final do ano. Segundo o diretor médico de análises clínicas da Dasa, Gustavo Campana, o recrutamento começará após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar os resultados da fase I de testes da vacina, que está em andamento em Taiwan, na Ásia.

“Após o final da fase I, que está acontecendo agora em Taiwan, vamos submeter os resultados à Anvisa, e começaremos a recrutar os pacientes”, disse Campana na coletiva de imprensa virtual promovida pelas duas companhias. O foco da Dasa é iniciar os testes da fase II no Brasil com ao menos 2 mil pessoas.

De acordo com Campana, o recrutamento será feito utilizando a base de dados dos pacientes da Dasa, que ele considera um dos principais atributos competitivos da vertical de testes clínicos da companhia. A visão do executivo é de que essa base deve permitir um recrutamento mais rápido. “Este cenário de pandemia acelerou as aprovações regulatórias”, disse.

O executivo comentou que os resultados dos testes clínicos realizados até o momento têm sido “animadores”. Ele afirmou que os testes serão feitos durante 12 meses, para medir a resposta imunológica.

Resultados

Os resultados dos primeiros testes clínicos da vacina ainda não foram publicados em revistas científicas, mas isso deve acontecer em breve. A afirmação é da cofundadora e coCEO da Covaxx, Mei Mei Hu, que disse que a empresa está agregando mais estudos aos resultados antes da publicação.

“Apresentamos nossos resultados em conferências, e estamos preparando um manuscrito (para a publicação)”, disse ela na entrevista coletiva virtual. “Os manuscritos terão a inclusão de alguns estudos que estamos fazendo, e vamos publicá-los em breve ”

De acordo com ela, os resultados obtidos até o momento, nos testes de fase I – que segundo as empresas, estão sendo realizados em Taiwan – houve uma “resposta ampla” do sistema imunológico dos pacientes. A vacina, de acordo a Covaxx, é baseada em peptídeos, em uma plataforma que a empresa afirma que possibilita a produção em larga escala da imunização.

Segundo Mei Mei, há um “número” relevante de vacinas comerciais que utilizam tecnologias semelhantes, a maior parte delas utilizada na medicina veterinária. Em doenças que atingem a seres humanos, a executiva afirmou que um exemplo é uma vacina contra o mal da Alzheimer, que segundo ela, está chegando à fase II dos testes.

“É uma tecnologia que temos utilizado por anos, para produzir bilhões e bilhões de doses. É claro que é em aplicações veterinárias, mas fizemos vários testes em humanos ao longo dos anos”, declarou. “Não há quase nenhuma reação até o momento, e não deveria haver.”

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Guedes diz esperar que SP pague pela vacina

O presidente Jair Bolsonaro e Doria divergem publicamente sobre a obrigatoriedade da vacinação contra a covid-19

Caiado: governadores terão reunião sobre vacina

O encontro contará com a presença dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP)

Covid-19 pode ser transmitida entre homens e animais?

Pesquisa da Universidade Federal do Paraná investiga se o vírus pode ser transmitido entre homens e animais de estimação. É o primeiro estudo do tipo em um país tropical. Saiba mais!

Vacina de Oxford produz em idosos resposta imunológica contra covid-19

A vacina de Oxford/AstraZeneca é uma das que estão com os testes mais avançados. Ela está na fase 3 dos ensaios clínicos

Covid-19: Anticorpos duram sete meses no organismo

Estudo com 6 mil pessoas mostrou que os infectados pela covid-19 geram uma reação imunológica adequada. Saiba mais!

Consórcio para comprar vacina esbarra em problema político, dizem especialistas

A vacina produzida pela Sinovac BioTech com o Instituto Butantan deve estar disponível, provavelmente, em janeiro, disse Vecina

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

Semana dos manuscritos do Mar Morto; Saiba mais!

Arqueólogos e especialistas vão apresentar um dos mais impactantes achados da humanidade, na semana dos manuscritos do Mar Morto. Evento, que começa nesta segunda,19, é gratuito!

Live Solidária “Um Com Eles” em Libras

A live solidária, realizada pela Portas Abertas, será transmitida pelo Facebook, e estará acessível a todos que entendem a língua brasileira de sinais. Saiba mais!

Desafio Superação em corrida virtual; É neste domingo, 18

Em alusão ao Outubro Rosa, o Desafio Superação vai mobilizar mulheres cristãs de todo o Brasil em prol da saúde. Saiba mais!

Vovô Raul Gil recebe artistas gospel em live; Saiba mais

A live gospel do Vovô Raul Gil será no dia 21 de outubro e vai reunir personalidades e artistas evangélicos. Saiba mais!
- Publicidade -

Plugue-se

Nova fase da Academia da Bíblia SBB

Com novos cursos, o projeto de capacitação bíblica da SBB deseja auxiliar o cristão no estudo aprofundado da Palavra de Deus. Saiba mais!

Quando Deus é a fonte do equilíbrio em campo e da força emocional

Sucesso na Liga dos Campeões da Europa, o goleiro Keylor Navas, 33 anos, dirige estudos bíblicos com um grupo de 10 pessoas em Paris.

Clovis Pinho, o que vem por aí?

Novo single de Clovis Pinho deve chegar ao mercado em novembro. Saiba mais!

“Sentido” é o novo álbum musical de Leonardo Gonçalves

Gravado em Praga, na República Tcheca, álbum conta as canções que marcaram os mais de 20 anos de carreira de Leonardo Gonçalves