21.6 C
Vitória
sábado, 13 agosto 2022

Daniel Dias, o adeus de uma lenda: “Deus seja louvado por tudo”

Daniel
Foto: Reproduçaõ

Maior medalhista brasileiro paralímpico da história, Daniel Dias se despediu das piscinas em Tóquio com 27 medalhas na carreira: “Deus fez infinitamente mais do que pensei e pedi”, declarou o atleta

Por Priscilla Cerqueira

Uma lenda da natação no Brasil. Um dos maiores atletas da história do esporte brasileiro deu adeus às piscinas na manhã desta quarta-feira, 1º. Maior medalhista brasileiro da história dos Jogos Paralímpicos, Daniel Dias ficou em quarto lugar na última prova de sua carreira, os 50 m livre S5, e se despede de Tóquio com três medalhas de bronze.

Com 27 medalhas, sendo 14 de ouro, o atleta de 33 anos, encerra a carreira como o terceiro maior campeão da natação paralímpica masculina. “Deus fez infinitamente mais do que eu pedi ou pensei. Se eu escrevesse isso não seria tão perfeito quanto foi. Não é choro de tristeza. Estou feliz. É uma vida dedicada a isso aqui”, declarou.

Evangélico, Daniel destaca que sua vida é prova do poder de Deus. “Nasci num berço evangélico, sempre tive isso”, afirmou. E após uma carreira vitoriosa é hora de parar e seguir novos projetos.

“A vida do atleta é feita de ciclos, fases, e por isso decidi parar, resolvi dar o adeus à piscina porque vejo que a minha contribuição com a natação paralímpica já foi excepcional. Foi além do que eu esperava”, disse Dias, ao explicar os motivos que o levaram a optar pela aposentadoria.

Despedida emocionante

Antes de pular na piscina do centro aquático de Tóquio, o nadador viu faixas e cartazes escritos pela família dele e empunhados pela comissão técnica da seleção. Era um sinal do que o maior atleta paralímpico brasileiro da história encontraria 50 metros adiante, do outro lado da piscina, quando ele encerrasse sua última participação paralímpica.

Ao bater a parede da piscina 32,12 segundos depois da largada, ele olhou o placar e viu que tinha ficado em quarto lugar, atrás dos três chineses que dominaram os 50m livres na classe S5, para atletas com limitações motoras. A 28ª medalha não tinha vindo, mas Daniel comemorava já pensando na volta pra casa.

Foco na família

Daniel
Foto: Ale Cabral/CPB

Ficar mais perto da família, particularmente dos três filhos que assistiam à prova no Brasil, foi o motivo que levou o nadador a encerrar sua carreira aos 33 anos.

“Cada braçada era pra eles”, disse Daniel depois da prova, emocionado e pensando nos filhos Asaph (7), Daniel (5) e Hadassa (2).”Papai tá chegando em casa. É isso que eu falo pra eles.”

No dia da despedida, as lágrimas vieram de emoção. Afinal, é uma carreira vitoriosa.

“Hoje está muito difícil falar. Mas eu quero agradecer. A palavra de hoje é gratidão. Agradecer família, patrocinadores, torcedores, enfim. Tá difícil encontrar palavras. Acabou. O que eu queria é poder voltar no tempo, mas o que fica agora é a saudade”, declarou Daniel Dias bastante emocionado após a prova que encerrou a sua gigantesca carreira.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se