Cristãos perseguidos são visitados e amparados nas Filipinas

Foto: Reprodução

Quem realmente precisa entrar na ilha de Mindanao, nas Filipinas, para fazer as visitas missionárias, deve recorrer aos procedimentos rigorosos impostos pelas forças armadas e pela Polícia Nacional das Filipinas.

Cristãos que sofrem perseguição nas Filipinas recebem visitas de missionários cristãos e, nestas missões são amparados por eles.

Khalil (o nome foi alterado por motivos de segurança), é um dos colaboradores da Portas Abertas e, recentemente, visitou a equipe que atua em Marawi, maior cidade na ilha de Mindanao, nas Filipinas.

De acordo com o site Missão Portas Abertas, o local se destaca por ser o centro dos conflitos entre o governo e o grupo Maute (formado por jihadistas que juraram lealdade ao Estado Islâmico).

A visita feita por Khalil aconteceu com outro colaborador e ele também visitou os cristãos deslocados.

“Marawi ainda está fechada e os militares não permitem que civis entrem na cidade. Quem realmente precisa entrar, deve recorrer aos procedimentos rigorosos impostos pelas forças armadas e pela Polícia Nacional das Filipinas”, explicou.

AJUDA DE EMERGÊNCIA

“A ajuda emergencial foi enviada através de um líder cristão, mas sabemos que vai durar de 3 a 5 dias. Além dos alimentos e outros itens, também enviamos ajuda financeira”, disse o colaborador.

Ele também conta que as mercadorias não são exclusivas para cristãos. “Certamente, os alimentos são compartilhados com os parentes muçulmanos. Isso é muito bom, porque impede que esses cristãos sejam perseguidos e também abre oportunidade de o evangelho ser pregado a muito mais pessoas”.

PREGAÇÃO DA PALAVRA

Sabe-se que falar de Jesus Cristo no contexto muçulmano é algo perigoso. Khalil conta que Bíblias foram encontradas entre os pacotes de ajuda, causando tumulto entre a comunidade islâmica e os advogados que lutam pela paz na região.

“As Bíblias estavam entre os produtos de higiene (shampoo, sabonete e creme dental) e em suas capas estava escrito ‘Su Sindaw’ ou ‘A Luz’. Todo este material foi distribuído a 300 famílias por uma ONG cristã”.

Khalil conta que esse tipo de ação ofende alguns muçulmanos mais radicais que chegam a queimar as Bíblias.

PERSEGUIÇÃO

O cristianismo não é bem vindo em nenhuma região onde o Estado Islâmico atua, onde a igreja é pressionada e os cristãos hostilizados.

Embora o país não esteja na Lista Mundial da Perseguição, a região sul já experimentou a perseguição religiosa. Recentemente, jihadistas sequestraram mulheres e líderes cristãos por lá. “Ore pela Igreja Perseguida nas Filipinas e interceda pelos nossos irmãos na fé”, disse.