Cristãos sob tensão após morte de general no Oriente Médio

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Contraofensiva do Irã a bases norte-americanas no Iraque aumenta tensão na região e cristãos são alvos fáceis neste conflito

Cristãos iraquianos estão apreensivos com novas possibilidades de ataques do Irã, em retaliação pela morte do general Qassam Soleimani, ocorrida (3) de janeiro. O general era o segundo homem mais poderoso do Irã.

Próximo ao Aeroporto de Bagdá, o veículo dele foi atingido por um bombardeio autorizado pelo presidente americano, Donald Trump. Em retaliação, o aiatolá Ali Khamenei, líder supremo iraniano, no dia (7) de janeiro, comemorou um ataque a duas bases aéreas americanas no Iraque.

O parlamento do Iraque, pediu que as tropas americanas deixem o território. De acordo com um colaborador local da Portas Abertas, cristãos temem mais violência no país. “Isso pode ser uma batalha terrestre entre Irã e Estados Unidos, ou uma nova guerra civil dentro do território iraquiano”, justifica.

“Estamos atentos para o impacto sobre a enfraquecida população cristã e pedimos cautela aos envolvidos, também solicitamos que eles reconheçam os efeitos das decisões políticas de alto nível sobre a população, especialmente as minorias religiosas vulneráveis”, manifesta um porta-voz da campanha Esperança para Síria e Iraque.

IRAQUE

Após anos de conflito, a presença cristã no Iraque tem diminuído. De 1,5 milhões em 2003 para 225 mil em 2018. Apesar da expulsão do Estado Islâmico, células do EI e tropas apoiadas pelo Irã atacam a população iraquiana, principalmente grupos minoritários acusados de “infiéis”.

Na planície do Nínive, norte do Iraque, a situação parece estar relativamente calma. No entanto, de acordo com outro parceiro local “todo mundo está acompanhando de perto as notícias e teme a ação das milícias na região”.

O líder cristão Rafael Sako lamentou a nação ser usada como um campo de batalha. “É deplorável que nosso país seja transformado em local onde alvos são atingidos, ao invés de ser uma nação soberana capaz de proteger nossa terra, nossa riqueza, nossos cidadãos. Em face dessa perigosa situação, imploramos que todas as partes envolvidas exercitem a moderação”, clama.

PERSEGUIÇÃO NO IRÃ

O Iraque é o 13º país na Lista Mundial da Perseguição 2019. Por outro lado, o Irã, ocupa o 9º lugar na lista, com perseguição extrema, tendo vários líderes cristãos presos e outros desaparecidos, por simplesmente se reunirem em casas para adorar a Deus. O ato é reconhecido pelo governo como crime de ação contra a segurança nacional.

Na última semana, o líder cristão Ramiel Bet-Tamraz, 35, foi condenado a quatro meses de confinamento. Seus pais, pastor Victor Bet-Tamraz e Shamiram Isavi Khabizeh foram condenados a 10 e 5 anos de prisão, por ações contra a segurança nacional.

Com a perseguição, o número de seguidores de Jesus tem crescido no país, por consequência, autoridades tomaram medidas mais radicais.”Eles começaram a impor mais restrições à participação na igreja, violando a liberdade de culto e assembleia, fechando a principal editora de Bíblia em língua persa do Irã, prendendo e aprisionando os líderes da igreja e muito mais”, afirma parceiro da Portas Abertas.
*Da redação, com informações de Portas Abertas 

LEIA MAIS 

Estados Unidos X Irã: Afinal, haverá ou não a 3° Guerra Mundial? 
Terceira Guerra Mundial? 
EUA ameaça atacar Irã com força esmagadora