25.5 C
Vitória
quinta-feira, 18 agosto 2022

Cristãos na Índia fazem petição protetiva à Suprema Corte

Igrejas domésticas são constantemente atacadas, e os cristãos agredidos - Foto: Portas Abertas

Os ataques aos seguidores de Jesus crescem a cada mês no país. Somente em maio, foram reportados à justiça 57, um recorde 

Por Patricia Scott

Na Índia, o número de casos de violência contra cristãos aumentou drasticamente nos últimos anos. Por isso, mais uma vez, os seguidores de Jesus estão recorrendo à justiça, solicitando medidas de proteção.

O advogado sênior Colin Gonsalves enviou a petição para análise do Tribunal Sazonal da Índia, que acompanha os casos de violência, já que a Suprema Corte está em recesso de verão. O site de notícias indiano, Livelaw, informou que Colin pediu aos juízes Surya Kant e JB Pardiwala uma audiência urgente. No documento, ele afirmou que o número de ataques aos cristãos aumenta a cada mês. Em maio, por exemplo, foram reportados 57, um recorde no país.

“O que vocês disseram é lamentável, se de fato estiver acontecendo com essa frequência. O que eu posso garantir é que o pedido de vocês está sendo cuidadosamente analisado”, salientou a juíza Surya Kant.

A audiência de reabertura do pedido está marcada para o próximo dia 11 de julho. Isso porque uma petição já tinha sido feita à Suprema Corte, em março, por Peter Machado, um líder cristão de Bangalore, e pela Comunidade Evangélica da Índia. O chefe de justiça, no entanto, recusou uma audiência inicial, justificando que “não havia urgência”.

Onda de violência

Na Lista Mundial da Perseguição (LMP) de 2022, elaborada por Portas Abertas, o país aparece em 10º lugar. O ano de 2021 foi “o mais violento para cristãos na Índia”, aponta o site de notícias Quint. Foram 486 casos relatados de violência contra cristãos no ano passado. Representa um aumento de 75% em comparação com 2020.

No entanto, o relatório do site Quint sobre os crimes na Índia aos cristãos pontua que o número atual deve ser ainda maior. Dentre os fatores que colaboram para a onda de violência está as leis anticonversão. 

Na Índia, onze dos 28 estados possuem leis anticonversão.  Nessas localidades, qualquer mudança de religião deve ser informada às autoridades. São utilizados termos como ‘indução’, ‘à força’ e ‘meios fraudulentos’ para alegar que as pessoas se converteram aos cristianismo porque foram obrigadas ou receberam benefícios. 

“Violência é significantemente mais proeminente em estados que aprovaram essas leis, que restringem a liberdade de mudar de religião. Só a existência de leis anticonversão já cria um ambiente de hostilidade e intolerância. O medo da punição é usado para reprimir expressões públicas e privadas de fé”, destaca o relatório.

Grupos radicais hindus que realizam ataques são extremamente violentos, pois sabem que sairão impunes. Isso por que o partido do Povo Indiano (BJP, sigla em inglês) dificilmente tomará medidas contra eos agressores.

Com informações Portas Abertas

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se