24 C
Vitória
quarta-feira, 21 abril 2021

Eritreia: 21 cristãs são libertas após 3 anos de prisão

De agosto de 2020 para cá, 171 cristãos ganharam liberdade na Eritreia. As cristãs que foram soltas tem mais de 30 anos de idade, sendo 6 delas solteiras

Depois de três anos e três meses em cativeiro, 21 mulheres cristãs da ilha de Dahlak, na Eritreia, foram libertas. As seguidoras de Cristo foram presas entre as cidades de Asmara e Massawa, na costa do país. Todas têm mais de 30 anos e seis delas são solteiras.

A Eritreia ocupa o 6º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2021. É um local onde os cristãos enfrentam perseguição em nível extremo e em todas as esferas da vida. Muitos são presos por não abdicarem da fé e centenas permanecem detidos.

Os seguidores de Jesus são mantidos pelo governo em péssimas condições e muitos ficam enclausurados em contêineres em temperaturas escaldantes. Milhares de cristãos foram detidos e presos nos últimos anos, alguns dos quais estão na prisão há mais de dez anos.

Perseguição no país

Cristãos de denominações não tradicionais enfrentam perseguição mais dura na Eritreia, tanto do governo como da Igreja Ortodoxa Eritreia, que é a única denominação cristã reconhecida pelo governo e rigidamente controlada pelas autoridades.

As forças de segurança do governo monitoram ligações, examinam atividades e conduzem incontáveis ataques que visam cristãos, apreendem materiais cristãos e danificam igrejas domésticas.

Eritreia_bíblia
Cristãs se reúnem para orar e estudar a Bíblia na Eriteia. Este encontro pode lhes render a prisão por anos em contêineres e nas piores condições de sobrevivência. Foto: Portas Abertas

Os cristãos podem ser presos e encarcerados sem julgamento. Muitos cristãos são mantidos em prisões desumanas por causa da fé, e os familiares ficam sem saber onde estão ou se ainda estão vivos. Em junho de 2020, a ONU informou que não houve progresso significativo no que diz respeito às violações dos direitos humanos na Eritreia.

Cristãos que não são da Igreja Ortodoxa e ex-muçulmanos enfrentam extrema oposição da família, comunidade e do Estado; muitas vezes serviços sociais essenciais e outros recursos são negados aos seguidores de Jesus.

“Na prisão, um dos meus principais objetivos como cristão era evangelizar. Claro, é proibido fazer isso abertamente, mas fazíamos à noite, quando todos estavam dormindo. Muitas pessoas na prisão passam por diferentes frustrações e depressão. Por isso, elas amaram o que ensinamos e compartilhamos. Vimos muitas conversões e isso prova que o evangelho não pode ser acorrentado!” , disse Musse, um cristão que passou anos na prisão e compartilhou o evangelho com outros presos.

Por que os cristãos são presos?

*Com informações de Portas Abertas

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se