Os desafios de ser cristão secreto na Coreia do Norte

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A Revista Portas Abertas traz as experiências de irmãos e irmãs no país número um em perseguição

Ser cristão na Coreia do Norte é algo sigiloso. Onde o inimigo que pode denunciar ao Estado mora dentro da mesma casa, ou na residência vizinha. A Revista Portas Abertas de janeiro conta a realidade de irmãos e irmãs que vivem no país em primeiro lugar na Lista da Perseguição 2019.

O número de seguidores de Jesus no país é estimado entre 200 a 400 mil, com 50 a 70 mil presos por causa da fé. Quando um deles é descoberto, o governo obriga-o a passar por um campo de reeducação e trabalho forçado, para que a ideologia inimiga seja extirpada. Já que o cristianismo é visto como uma religião americana, logo, inimiga.

Nesta edição, Kyung-so* conta como aconteceu o encontro com Deus. Foi por meio de um amigo, um cristão secreto que arriscou tudo para fazer o nome de Cristo conhecido. Já Kim Sang Hwa* revela como descobriu que os pais eram seguidores de Jesus e enfatiza a necessidade de falar dos fundamentos da fé para as crianças norte-coreanas, sem correr o risco delas contarem acidentalmente.

Além disso, é possível entender o porquê de a Índia ser um país diverso, porém ocupar a 10ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2019. E ainda ficar por dentro dos principais acontecimentos que afetaram os cristãos de diferentes regiões no mundo. Você vai aprender como é o processo de visita da Portas Abertas às igrejas do Brasil, e ainda pode refletir sobre a soberania de Deus por meio do devocional. Outros destaques são a visita de um correspondente internacional da Colômbia, as viagens programadas para 2020 e os motivos de oração diários no Vamos Orar.

*Da redação, com informações de Portas Abertas 


LEIA MAIS 

Fome na Coréia do Norte 
DIP 2019 – Ore pelos cristãos da Coréia do Norte 
O privilégio de ser perseguido por cristo