Evangélico pode praticar o nudismo?

Pergunta anônima

A ideia de um cristão evangélico ser adepto a esse ‘naturalismo’ que consiste na prática de ficar nu diante de outras pessoas também nuas, e, ainda, associar isso a ambientes de culto e à práticas espirituais é, minimamente, estranha ao pensamento e ao comportamento que o Novo Testamento propõe aos seguidores de Jesus Cristo.

O conselho que o apóstolo João nos dá é balizador: “Aquele que diz que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou” (1 João 2:6). Assim, o parâmetro para a minha conduta como um cristão, é o próprio Cristo.

O apóstolo Paulo diz algo na mesma direção: “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo” (1 Coríntios 11:1). Novamente o Senhor Jesus é posto como modelo de vida e de conduta tanto para Paulo, quanto para os crentes de Corinto e, por extensão, para todos nós. Partindo desse pressuposto, já devemos rejeitar a prática deste chamado ‘nudismo evangélico’, pois não encontramos nem em Jesus Cristo nem nos apóstolos, esta relação hedonista e exibicionista com o corpo.

O Novo Testamento nos orienta a oferecermos os nossos corpos a Deus (Romanos 12:1), ensina que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo (1 Corintos 6:19), estabelece que tudo o que fazemos deve objetivar a glória de Deus (1 Coríntios 10:31) e diz que o nosso corpo, que hoje é corruptível, há de ser revestido de incorruptibilidade (1 Coríntios 15:54).

Assim, de forma bem sucinta, devemos, como cristãos guiados pela Bíblia, rejeitar qualquer prática ou comportamento que colida com as Escrituras; o que inclui de forma clara e categórica o, infelizmente tão difundido, “nudismo cristão”. Com a nossa mente renovada e arejada como as verdades eternas da Palavra de Deus, buscamos a santidade em tudo, especialmente na nossa relação como o nosso corpo, onde só aceitamos usá-lo de uma maneira digna do Evangelho.