Porto Rico vive pior crise política da história

Foto: Reprodução/Marco Bello/Reuters

O governador porto-riquenho renunciou por conta de um escândalo envolvendo o seu nome. Ele deve deixar o cargo em 2 de agosto

Após quase duas semanas de protestos em massa, o governador de Porto Rico, Ricardo Rosselló, anunciou ontem (25) sua renúncia a partir do dia 2 de agosto. O político está no centro de um escândalo desencadeado pelo vazamento de uma conversa entre ele e alguns de seus assessores.

Nas mensagens vazadas, trocadas no aplicativo Telegram, o governador e outros 11 membros de sua equipe usam linguagem obscena para debochar de jornalistas, mulheres, políticos, artistas, membros da comunidade Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgêneros (LGBT) e vítimas do furacão Maria, que atingiu a ilha há quase dois anos.

Leia: Após furacão, em Porto Rico, população de evangélicos só diminui

As mensagens, vazadas pelo Centro de Jornalismo Investigativo, enfureceram porto-riquenhos já frustrados com a corrupção, a má gestão, a crise econômica e a lenta recuperação do país após o furacão. No início desta semana, dezenas de milhares de pessoas reuniram-se em mais um protesto na capital, San Juan, para exigir a demissão do governador da ilha caribenha.

O cantor Ricky Martin, que é porto-riquenho, se juntou aos protestos e pediu a renúncia de Rosselló por meio das redes sociais.

Nesta quarta, uma multidão de milhares de pessoas reunidas diante da mansão do governador na capital comemorou o anúncio feito por Roselló por meio do Facebook. Em várias partes da cidade, os cidadãos foram até as janelas e fizeram um “panelaço”.

“Minha única prioridade foi a transformação da nossa ilha e o bem-estar do nosso povo”, disse o governador em seu comunicado, listando seus feitos antes de deixar claro que renunciará. “Depois de escutar as reivindicações, falar com a minha família, pensar nos meus filhos e em oração, hoje anúncio que renunciarei ao posto do governador efetivo no dia 2 de agosto.”

O governador disse esperar que sua renúncia sirva de “apelo à reconciliação dos cidadãos” e está convencido de que deixa o cargo desejando “a paz e o progresso do país”. A secretária de Justiça, Wanda Vázquez, assumirá o cargo ocupado por Rosselló por dois anos e meio.

Entenda

O político de 40 anos, filho de um ex-governador, Rosselló tornou-se o primeiro chefe do Executivo a renunciar na história moderna de Porto Rico, território dos EUA onde vivem mais de 3 milhões de cidadãos norte-americanos.

Antiga colônia espanhola, o território foi anexado aos Estados Unidos após a Guerra Hispano-Americana de 1898. Sua população majoritariamente falante do espanhol tem a cidadania americana desde 2017, mas não tem o direito de votar para presidente. A onda de protestos é vista como a pior crise política da história de Porto Rico.

*Com informações da Agência Brasil.


leia mais

Igrejas começam a ser reconstruídas em Porto Rico