25.9 C
Vitória
sexta-feira, 17 setembro 2021

Crise em Jerusalém: os motivos do ódio e conflitos entre israelenses e palestinos

Disputas por terras sagradas para israelenses e muçulmanos tem ceifado a vida de muita gente há muitos anos: “Existe um ódio aos judeus e AO Eterno”, declara Benjamin Serber, judeu messiânico.

Por Priscilla Cerqueira 

Jerusalém está no centro do conflito que já dura mais de 70 anos entre israelenses e palestinos. Ambos veem a cidade como sagrada e a reivindicam como capital. No fim de semana, Israel e Hamas intensificaram bombardeios que deixaram 20 pessoas mortas.

A comunidade internacional instou os dois lados a interromper a escalada do conflito, que se segue a dias de confrontos em Jerusalém. Esses recentes desdobramentos abrem mais um capítulo na história de animosidade entre os dois povos.

Benjamin Serber, judeu messiânico que é Professor de Hebraico e vive em Israel, conversou com a Comunhão sobre os motivos dos conflitos no país e porque a tão sonhada paz não acontece. Serber disse que os grupos terroristas têm em seus estatutos a ideologia de acabar com Israel e os judeus.

“Existe um ódio aos judeus e ao Eterno. E um conflito espiritual entre os filhos de Ismael com os filhos de Isak e Jacó”, explicou. Afirmou também que a esquerda em geral no mundo inteiro é anti Israel, inclusive no Brasil. “Mas não sabem nem metade do que acontece aqui no dia a dia”.

E sobre a tão deseja paz entre os países ele respondeu. “Desejo e oro para que cada dia mais, judeus e árabes em Israel e na região possam reconhecer a verdadeira paz como está escrito em Filipenses 4”. Confira a entrevista!

Jerusalém tem sido palco de semanas de agitação e violência ao nível não visto havia anos, em uma nova escalada de tensões entre palestinos e forças de segurança israelenses. Quais os motivos desses confrontos?

Tudo começou quando jovens muçulmanos entraram em confronto com policiais israelenses no Monte do Templo. E também em vários lugares de Jerusalém partiram com ondas de violência batendo em judeus ortodoxos. O Hamas é um grupo terrorista que comanda a faixa de Gaza. Eles atiçam os jovens muçulmanos em Israel a partir para a violência e terror. Não só em Jerusalém, mas em outras cidades de Israel. Queimando sinagogas, carros.

O que está por trás da nova espiral de violência em Jerusalém?

O Hamas e a Jihad Islâmica comandam essas ondas de violência. Por trás está o Irã. Esses grupos terroristas têm em seus estatutos a ideologia de acabar com Israel e os judeus. Esse é o fundamento principal deles. Nesse momento o Hamas também disputa forças com outro grupo que chama Fatah que hoje controlam o lado arabe no leste de Jerusalém. E isso tudo acaba refletindo em Israel.

Benjamin
Foto: arquivo pessoal

Como os judeus messiânicos vêem esses ataques no país?

Judeus messiânicos como eu, sabem que esses ataques tem um fundo espiritual e que só acabará quando o verdadeiro Mashiach Yeshua reinar. Existe um ódio aos judeus e AO Eterno. E um conflito espiritual entre os filhos de Ismael com os filhos de Isak e Jacó.

Israelenses e palestinos nunca se aproximaram da paz? Por quê?

Israel já fez tratado de paz com países árabes. Jordânia e Egito, por exemplo, a mais de 40 anos. Israel várias vezes entregou territórios em troca de paz. E não foi diferente com os chamados “palestinos”. Israel tentou vários tratados de paz com eles. Entregando cidades importantes como Belém, Jericó entre outras e em 2005 entregou Gaza totalmente florida e desenvolvida. Mas o Hamas é um grupo terrorista que controla Gaza e o próprio povo lá sobre nas mãos deles.

Porque os EUA são o principal parceiro de Israel? Quem apoia os palestinos?

Depende muito de quem está no governo. Os Republicanos são pró Israel. Nesse momento o Biden é o presidente, é democrata e não é pró Israel. Recentemente enviou US$235 milhões para a ‘causa palestina’. Mas infelizmente essas verbas ao invés de irem para o desenvolvimento da população, fica nas mãos de grupos terroristas radicais que investem em mísseis e bombas que disparam contra Israel. Em geral, a maioria dos países que controlam a ONU, são pró árabes, pois tem uma grande onda esquerdista ideológica contra Israel. A esquerda em geral no mundo inteira é anti Israel. Inclusive no Brasil. Mas não sabem nem metade do que acontece aqui no dia a dia. A mídia esquerdista a mesma coisa.

O que falta para que haja paz duradoura?

Vou responder essa pergunta de uma forma mais espiritual e escatológica porque não existe uma Paz/Shalom duradoura e verdadeira sem O Ministro da Paz, Yeshua. A própria Bíblia diz isso. Estamos no princípio das dores. Desejo e oro para que cada dia mais, judeus e árabes em Israel e na região possam reconhecer a verdadeira paz como está escrito em Filipenses 4.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se