20.9 C
Vitória
segunda-feira, 21 junho 2021

Criança africana: ela precisa de oração

No dia da criança africana, uma triste realidade: três em cada quatro crianças no país têm necessidades básicas, como a falta de alimentação, água, luz e habitação. A igreja precisa orar e ajudar

Por Priscilla Cerqueira

Hoje, 16 de junho, é celebrado o dia da criança africana. Data traz como memória crianças negras que foram mortas nesse dia, em 1976, no Soweto, África do Sul, quando reivindicavam o direito de aprender a sua língua materna.

Segundo a ONU, os piores países do mundo para uma criança viver estão na África. São 54 países ao todo. O continente africano é o mais pobre, o segundo mais populoso e o terceiro mais extenso a nível mundial.

Fé e alegria na miséria

A criança africana é um exemplo. Segundo o pastor Paulo Cesar Gomes, da Igreja Assembleia de Deus Vida Abundante, em Cariacica (ES), que desenvolve vários projetos em Moçambique, é impressionante ver como elas vivem com alegria, em meio a dificuldade.

“Eles saem de suas casas para adorar ao Senhor com alegria, mesmo debaixo de um sol quente e calor insuportável. Usam roupas usadas pois não tem como comprar, ficam sem comer na maioria das vezes e estão sempre sorrindo. Mesmo na miséria, elas não perdem a alegria de adorar a Deus”, relatou.

A realidade é difícil. As crianças moram em casas improvisadas, abertas e sem chão, estudam sentadas sobre a areia. No local, onde o pastor visitou com um grupo de irmãos da igreja, mais de 60 crianças vivem na situação de miséria. Elas participam do Centro de Apoio a crianças e idosos, ganham refeição, muitas a única do dia, fazem aulas e ainda participam de cultos com os pais.

“Elas percorrem cerca de 10 km, muitas vezes sob sol quente, sem reclamar. É de cortar o coração. Isso nos mostra que temos que dar mais valor as pessoas e o que temos. Como igreja devemos aprender com elas a termos força de vontade”, relata o pastor.

Igreja

Três em cada quatro crianças no país têm necessidades básicas, como a falta de alimentação, água, luz e habitação. Principalmente as crianças africanas enfrentam problemas graves como higiene, saúde, alimentação.

Além disso, enfrentam conflitos tribais, guerras, exploração, analfabetismo. Sem contar problemas de ordem espiritual como idolatria, feitiçaria e islamismo.

A Aliança Pró evangelização das crianças (APEC), conclama a igreja oração pelas crianças africanas. “Promova este dia de oração. A igreja precisa clamar para que as crianças sejam alcançadas pelo evangelho e ame ao Senhor Jesus e que o islamismo seja interrompido”, diz a nota no site da instituição.

“Como igreja podemos orar e contribuir. O valor é muito pequeno para colaborar. Precisamos semear a palavra para que essas crianças sejam adultos cristãos”, complementou o pastor Paulo Cezar.

Sobre a data

Em 1991, a OUA-Organização de Unidade Africana escolheu o dia 16 de Junho para homenagear essas vítimas e para proteger as crianças do continente africano. No continente africano continuamos a presenciar a constante violação dos direitos Fundamentais das crianças.

Apesar de todos os apelos, o certo é que em África e também noutras zonas do mundo continuam a morrer de fome milhares de crianças, vítimas de pobreza extrema, em virtude de doenças provocadas pela subnutrição e pela falta de cuidados primários de Saúde entre outros.

É responsabilidade dos Estados, da Família e de toda a sociedade colaborarem entre si para proteger as crianças com vista ao seu desenvolvimento integral e harmonioso. Para que as crianças tenham uma vida digna e feliz, foi aprovada pela Organização das Nações Unidas (ONU) a “Declaração dos Direitos da Criança” e que, em 1990, se tornou lei internacional.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se