21.5 C
Vitória
sábado, 4 julho, 2020

Gastos públicos com saúde crescem menos que inflação

Mais lidas

Flexibilização do isolamento pode ter levado 1,1 milhão de volta ao trabalho

Segundo a Pnad Covid, pesquisa divulgada pelo IBGE, de 7 a 13 de junho, a taxa de desemprego no País estava em 12,4%, ante 11,8% na semana anterior

Bolsonaro sanciona lei que torna obrigatório o uso de máscara

Medida foi publicada hoje no Diário Oficial da União. Saiba mais! 

Desigualdades e baixo aprendizado são os maiores desafios na educação

Relatório do Inep aponta desafios para cumprir metas do PNE. Saiba mais! 

Bolsonaro escolhe Renato Feder como novo ministro da Educação

A expectativa é que o anúncio seja feito ainda nesta sexta-feira (3). Saiba mais!

É o que diz um levantamento feito pelo Conselho Federal de Medicina. Estudo diz que o dinheiro investido pelo governo para a saúde pública está abaixo do ideal.

O Conselho Federal de Medicina divulgou nesta terça-feira (13) um estudo sobre a situação da saúde no país. O levantamento concluiu que os gastos públicos por habitante nessa área, cresceram bem menos do que a inflação.

Em várias cidades do país a falta de estrutura na saúde é grande. Pacientes enfrentam filas para receber atendimento médico.

O Conselho Federal de Medicina analisou despesas com saúde dos municípios, estados e do governo federal de 2008 a 2017. E o que se descobriu: o total destinado à saúde pública, apesar de reajustado ano a ano, não consegue acompanhar a inflação.

Segundo o estudo, nesses dez anos, enquanto o IPCA, principal índice que mede a variação de preços, subiu 80%, o investimento em saúde cresceu 26%. Em 2017, se toda a inflação tivesse sido reposta, o Ministério da Saúde teria um orçamento 42% maior: em vez de R$ 263 bilhões, R$ 373 bilhões.

“Comparativamente com outros países mais ricos e não tão ricos, o governo coloca, percentualmente, menor quantidade de dinheiro na saúde e esse estudo demonstra com clareza isso. A própria Argentina, que passa por problemas até piores do que nós, o gasto público em saúde dela, percentualmente, é o dobro do Brasil”, explica Donizete Giamberardino, coordenador da Comissão Nacional Pró-SUS.

Para o Conselho Federal de Medicina, o dinheiro para a saúde pública no Brasil está abaixo do ideal. Mas pior ainda é saber que nem tudo que é destinado ao setor é usado. Segundo levantamento, entre 2003 e 2017, o Ministério da Saúde deixou de lado quase R$ 174 bilhões que estavam à disposição. Dinheiro que retornou aos cofres públicos, sem virar investimento onde era mais necessário.

*Com informações do G1

- Continua após a publicidade -

Comunhão Digital

- Continua após a publicidade -

Fique Por Dentro

Artistas cristãos na ação social “Eu Soul VC”

Entre os artistas cristãos confirmados estão Casa Worship, Renascer Praise, André e Felipe, Rebeca Carvalho e Leandro Borges

The send Argentina é adiado para 2021

Em comunicado, os organizadores do The Send disseram que a data exata será definida assim que o governo tiver o poder de reativar eventos maciços

Em agosto, 16º Fórum de Ciências Bíblicas

Com o tema “A Bíblia para as novas gerações”, evento será realizado nos dias 13 e 14 de agosto, no Centro de Eventos de...

Expoevangélica 2020 é adiada para dezembro

Neste ano, a Expoevangélica celebra 15 anos e pretende realizar uma grande festa em Fortaleza (CE).

Plugue-se

Juliano Son canta “Nada mudou”, do EP Tudo Novo

Canção é o quinto e último single do projeto musical Tudo Novo, de Juliano Son

Kemuel e o fenômeno da música “Algo Novo”

Com quase cinco milhões de vies no Youtube, "Algo Novo", tem impactado a vida de muita gente e diversos testemunhos de cura 

“Quando o sol se põe” estreia dia 22, na Netflix

Filme é uma boa opção para todas as pessoas, independente da religião. Entre os atores de “Quando o Sol se Põe” estão a cantora Priscilla Alcantara, Lu Alone, Filipe Lancaster e Lito Atalaia

Denzel Washington e seu encontro sobrenatural com o Espírito Santo

O ator é bem conhecido por interpretar o papel de Malcolm X - um filme biográfico relacionado às atuais tensões raciais nos Estados Unidos e o Livro de Eli